segunda-feira, 13 de agosto de 2018

MILTON NASCIMENTO


CAIS



Para quem quer se soltar
invento caís
invento mais que a solidão me dá.
Invento lua nova a clarear,
invento amor e sei a dor de me lançar.
Eu queria ser feliz
Invento o mar
invento em mim o sonhador
Para quem quer me seguir
eu quero mais
Tenho um caminho do que sempre quis
e um saveiro pronto pra partir
invento o cais
e sei a vez de me lançar.




sábado, 11 de agosto de 2018

RENATA CORREIA BOTELHO





Tens um pingo de água
na face, lembrando
os verões de nossa infância,
ternas baías de abrigo
para os pés, andarilhos, da memória.

No mar, a mãe disse, um dia,
não vás tão longe, meu amor.

Foi quando percebi que há colos onde vivemos
a vida inteira.



sábado, 28 de julho de 2018

ROSA MARIA CHAVES JUÁREZ - (GUATEMALA)




gosto de beijar cicatrizes
ali onde a pele se faz mais forte
ali onde as lembranças são visíveis
cicatrizes de todas as formas e tamanhos
pequeninas sobre os lábios
nos parpados, nas miradas,
gosto de beijar corpos mapeados
riscados pelos fios do destino.
gosto das cicatrizes
porque ali a dor encontra sua forma
crescendo novamente a pele
exatamente onde houve sangue, onde houve ferida.





quarta-feira, 25 de julho de 2018

FINGIR



é minha sombra esta pálida imagem
neste pobre espelho?
são minhas as palavras
que ouves neste
triste declamar?
é tua
a ausência que sinto neste momento...

é fingir sorrir quando quero
chorar!



segunda-feira, 23 de julho de 2018

VENTO



Veio como vento no descampado,
forte e quente,
e desmanchou tudo o que o
vento
sempre desmancha!

Só não desmanchou o que sinto
por ti...

Não há forças na natureza para isso!!!




domingo, 15 de julho de 2018

ESTE CAMINHO




é este o caminho
que tenho percorrido
por toda
a minha vida.

é esta a estrada
que parece nunca ter fim,
nunca se acalmar.

foi tão fácil encontrá-la.
bastou seguir os rastros
que seus doces olhos deixaram.

foi só seguir tudo o que sempre
me ensinastes,
tudo o que eu sempre quis...



quinta-feira, 12 de julho de 2018

COMPOR



Alinhavar as palavras,
mas,
antes de tudo,
também os silêncios.
Sem ousadias...
Sem endereços...







sábado, 30 de junho de 2018

DESEJO !



Há no ar, neste instante,
o perfume do passado
que,
se não cuidarmos,
se evaporará...
Toma, pois, minhas mãos
nas tuas,
tua pele na minha
e tudo o que , de mim,
tu desejas...




sexta-feira, 29 de junho de 2018

A ÁRVORE DA SERRA


-- As árvores, meu filho, não têm alma!
E esta árvore me serve de empecilho...
É preciso cortá-la, pois, meu filho,
para que eu tenha uma velhice calma!

-- Meu pai, por que sua ira não se acalma?!
Não vê que em tudo existe o mesmo brilho?!
Deus pôs alma nos cedros... No junquilho...
Esta árvore, meu pai, possui minh'alma!...

-- Disse e ajoelhou-se, numa rogativa:
"Não mate a árvore, pai, para que eu viva!"
E quando a árvore, olhando a pátria serra,

caiu aos golpes do machado bronco
o moço triste se abraçou com o tronco
e nunca mais se levantou da terra!


(AUGUSTO  DOS  ANJOS)

terça-feira, 19 de junho de 2018

DO NOSSO JEITO!



Da doce admiração de tuas linhas,
das tuas frases,
nasceram como eternas, as tuas palavras.
Das danças que elas armaram,
de cada movimento,
delicado,
sobrou o doce sabor de cada gesto.
E cresce este sentimento que envolve
o meu jeito de te conhecer.

Do teu jeito,
do nosso jeito!!!