segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

POESIA LINDA DE AUTOR QUE NÃO CONHEÇO




Gostava de te mostrar
o meu labiríntico arvoredo ou
a sinfonia de meus canteiros;
levar-te ligeiro pela mão
numa manhã deslumbrada de sol
-Vês? - aqui a gravidade das camélias,
ali, os pirilampos, infinitos.
Haveria poços e covis de lobos
(portas inteiras de escuridão sonora)
mas também tulipas e girassóis
e rios, entornados em cascatas,
e as folhas leves de doces ventos.
Gostava de te mostrar
o meu jardim de dentro
(pétalas e pássaros, odoríferos, habitando
a nudez cava dos troncos)
Gostava - mas uivam os lobos
- Tu assustas-te.





quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

VIRÁ... BREVE!


Que ela venha assim. Tão
silente que nem me
desperte,
com aquele sorriso claro
que só as manhãs de abril
conseguem traduzir.
Que venha carinhosa,
e meiga, e pura.
Que chegue acompanhada
daquela melodia,
terna e mágica...
Sorriso cheio de luz.
Coração tão amplo quanto
o mundo.
E que me leve
para o lugar que nunca
sonhei...




terça-feira, 1 de janeiro de 2019



ANO  NOVO

CHICO  BUARQUE  DE  HOLANDA



O Rei chegou
e já mandou tocar os sinos
na cidade inteira
é pra cantar os hinos
hastear bandeiras
e eu que sou menino
muito obediente
estava indiferente
logo me comovo
pra ficar contente
porque é ano novo

Há muito tempo
que essa minha gente
vai vivendo a muque
é o mesmo batente
é o mesmo batuque
e que já viu de pé
o mesmo velho ovo
hoje fica contente
porque é ano novo

A minha nega pediu um vestido
novo e colorido
pra comemorar
eu disse:
finja que não está descalça
dance alguma valsa
quero ser seu par
e ao meu amigo que não vê mais graça
todo ano que passa
só lhe faz chorar
eu disse:
homem, tenha seu orgulho
não faça barulho
o rei não vai gostar.

E quem ficou cego veja de repente
todo o azul da vida
quem estiver doente
saia na corrida
quem tiver presente
traga o mais vistoso
quem tiver juízo
fique bem ditoso
quem tiver sorriso
fique lá na frente
pois vendo valente
e tão leal seu povo
o rei fica contente
porque é ano novo.


Parabéns, Chico. De um dos seus amigos "que não vê mais graça"



domingo, 23 de dezembro de 2018

PRISCILA BRANCO



gosto de ler poemas como
quem lambe ferida.
encostar a língua
na dor do outro.
o gosto acre,
doce só no final.
o último verso
sempre de açúcar.








domingo, 16 de dezembro de 2018


INGEBORG   BACHMANN



A  MINHA  SOMBRA


Sob um céu estranho
sombras rosas
sombras
numa terra estranha
entre rosas e sombras
numa água estranha
a minha sombra.






sábado, 8 de dezembro de 2018

MEUS OLHOS...




Nem tudo está perdido,
insiste o perdedor.
O sol está sempre no céu,
não importa o quanto
chova,
não importa que seja noite,
já!

O mundo são meus olhos, que,
acostumados a mentir
sempre me consolam.




sexta-feira, 23 de novembro de 2018

ETERNA



sons e luzes conspiram
contra o meu silêncio.
pálidas são estas horas.

e o pensamento passeia
por esta praia,
mesmo que a escuridão
perdure...

mesmo que ela seja
eterna!



domingo, 11 de novembro de 2018

CHOVE

JOSÉ  GOMES  FERREIRA




Chove...

Mas isso que importa!,
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.




sexta-feira, 2 de novembro de 2018

MENTIRA




Minto,
é inegável. E é a alma da mentira
que me seduz.
Conto o inenarrável.
Acrescento um ponto a cada conto.
Cara deslavada!
Olhar fixo, nunca vacilo.
Vício perfeito...

Minto.
E nada do que escrevo ou digo
é verdade!



segunda-feira, 29 de outubro de 2018

HÁ UM TEMPO - FERNANDO TEIXEIRA DE ANDRADE



Há um tempo em que é preciso
abandonar as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia: e,
se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos.