quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

VIRÁ... BREVE!


Que ela venha assim. Tão
silente que nem me
desperte,
com aquele sorriso claro
que só as manhãs de abril
conseguem traduzir.
Que venha carinhosa,
e meiga, e pura.
Que chegue acompanhada
daquela melodia,
terna e mágica...
Sorriso cheio de luz.
Coração tão amplo quanto
o mundo.
E que me leve
para o lugar que nunca
sonhei...




2 comentários:

Graça Pires disse...

Com imensa subtileza, você escreve um poema belíssimo, mas onde pressinto alguma tristeza, meu Amigo. Estarei enganada?
Uma boa semana.
Um beijo.

María Dorada disse...

Bello tu poema.

Gracias por visitar el mio.

Un beso.