terça-feira, 24 de novembro de 2015

Arrepio





Acabei de encontrar mais um pedacinho
de papel,
rasgado de um cantinho de caderno
onde tuas letras, trêmulas,
dizem, mais uma vez,
"amo você"

E, como sempre, me arrepio
quando leio.
Deliciosa mania esta sua
de me manter vivo.
Porque viver, para mim,
é te sentir sempre assim,
tramando e provocando
minha pele,
minha alma!



6 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...

Tenho o privilégio de ter a tua doçura e o teu companheirismo todos os dias me fazendo sentir feliz e totalmente parte do teu ser, da alma tua, e como não dizer que te amo?
AMO VOCÊ!
Beijos
Joelma

Bia disse...

lindo :)

Ly disse...

um sussurro

Jaime Portela disse...

Viver é sentir, como muito bem diz no poema.
Que é excelente.
Caro Rangel, tenha um bom fim de semana.
Abraço.

Valéria disse...

Poeta,
muito lindo!

Arco-Íris de Frida disse...

Lindo o pedacinho de papel...lindo o reconhecimento desse amor...lindo vcs...