quarta-feira, 21 de junho de 2017

MOVIMENTO


e se eu fosse a palavra
de ordem
na confusão expressa deste
movimento?

e se eu fosse o grito
suspenso
na garganta do orador
deste encontro?

confesso, apesar de tudo,
ser impossível
viver de mentiras...




terça-feira, 13 de junho de 2017

SANTA IGNORÂNCIA


se a vida fosse
mais simples que esta
matemática,
este grego para ser
traduzido,
este passe de mágica,
talvez eu já tivesse aprendido
suas regras
e seus mistérios...

mas, não...
como todo bom ser humano
persisto  nesta santa
ignorância!



domingo, 11 de junho de 2017

DE ANTEMÃO

JOAQUIN  GIANNUZZI


Comprei café, cigarros, fósforos.
Fumei, bebi
e fiel à minha retórica particular,
pus os pés sobre a mesa.
Cinquenta anos e uma certeza de condenado.
Como quase todo mundo fracassei sem fazer ruído.
Bocejando ao cair da noite murmurei minhas decepções,
Cuspi sobre minha sombra antes de ir para a cama.
Esta foi toda a resposta que pude dar a um mundo
que esperava de mim um estilo que provavelmente não me
correspondia.
Ou pode ser que se trate de outra coisa. Quem sabe
houve um projeto diferente para mim
em alguma provável loteria
e meu número não saiu.
Quem sabe nada resolva um destino estritamente pessoal.
Quem sabe a maré histórica a resolva por um e por todos.
Me cabe isto.
Uma porção de vida que me cansou antecipadamente.
Um poema paralisado em meu caminho
por uma razão desconhecida.
Um resto de café na minha xícara
que por alguma razão
nunca me atrevi a tomar até o fundo.




domingo, 4 de junho de 2017

A DOR

AMALIA  BAUTISTA



A dor não humaniza, não enobrece,
não nos faz melhores nem nos salva,
nada a justifica nem a anula.
A dor não perdoa nem imuniza,
não cria nada e nada a destrói.
A dor existe sempre e sempre volta,
nenhum dos seus atos é o último
mas todos podem ser definitivos.
A dor mais horrível pode sempre
ser ainda mais intensa e ser eterna.
Anda sempre acompanhada pelo medo.
Os dois se alimentam um ao outro.




terça-feira, 30 de maio de 2017

JOELMA ROQUE


Joelma, li algo no Blogger, escrito por Henrique Risques Pereira, a quem não conheço, mas que me pareceu ter sido escrito por mim... Ah, como eu realmente gostaria de ter sido eu... Leia:

"Foi assim neste jeito de não saber o que estava fazendo que procurei o teu encontro pelas esquinas da vida, no encontrão de tudo e de todos, que te encontrei..."

E como eu gostei que aqui ficasses...

Somewhere over the rainbow
Way up high
There's a land that I heard of
once in a lullaby
Somewhere over the rainbow
Skyes
And the dreams that you dare to dream
Really do come true

Someday I'll wish upon a star
And wake up where the clouds are far
Behind me
Where troubles melt like lemon drops
Away above the chimney tops
That´s where you'll find me

Somewhere over the raibow
Bluebirds fly
Birds fly over the rainbow
Why then, oh why can't

If happy little bluebirds fly
Beyond the rainbow
Why, oh why can't.


E. Y. HARBURG

,

domingo, 28 de maio de 2017

VIATCHESLÁV KUPRIYANOV


CANÇÃO  DE  EMBALAR



Dorme
em teu sono.
Por teu coração
passará imperceptível
a noite

levando consigo
as sombras matutinas da hesitação,
os pergaminhos das mágoas diárias,
os flocos da angústia noturna.

De manhã
haverá de novo luz
em teu coração.




domingo, 21 de maio de 2017

AMANHECER (NOVO)



Já? Diz a noite, da beira
da sacada,
as luzes mortas, ou
prestes a estarem...
Começavam ali as
magias, encantamentos e tristezas,
de noites tão quentes
e destinos tão frios...

Principiava a vida!




sábado, 13 de maio de 2017

ADAM ZAGAJEWSKI



UMA  CHAMA



Senhor, dá-nos um longo inverno
e música suave, e bocas pacientes,
e um pouco de orgulho - antes
que o nosso tempo chegue ao fim.
Dá-nos o espanto
e uma chama, alta, clara.





sábado, 15 de abril de 2017

TEU OLHAR - VESTÍGIOS





São vestígios, nada mais,
as sombras de teu olhar.
Dúvidas que gritam,
fortes,
estórias que se contam
há séculos e noites quentes
e frias,
arrepiantes, apesar de tudo.
São vestígios, nada mais.

A não ser o fim da noite,
antes das sombras e
de teu olhar...




domingo, 2 de abril de 2017

VIAGEM




e quando o ocaso
persiste,
em luzes brilhantes,
a vida,
viagem teimosa, dura
ainda um instante.

é preciso o
amanhecer, mesmo
entre nuvens,
pra vida voltar,
pra vida valer.

de verdade...



segunda-feira, 20 de março de 2017

INSISTÊNCIA...( AINDA)




porisso ainda choro, às vezes...
até a última gota,
um tanto mais, ainda
ou algo mais.
ou muito mais.

ainda é pouco e
destrói-se o que anda,
o que caminha,
o que voa...

o que tem olhos apenas pra você
... ainda!



quarta-feira, 15 de março de 2017

TRUQUES




Nada do que dizes me encoraja,
nem me deprime.
Em outros momentos, talvez,
tuas palavras tiveram cor,
além do som natural...
Perdeu-se, no encanto destas
luzes tantas.

Como truques de magia negra...

Como gritos de pavor,
nestes pretensos filmes de terror!!!


sábado, 11 de março de 2017

PROMESSA




Luminoso o céu em noite
tão quente.
Teus sonhos à espreita e
o medo, companheiro fiel,
não te deixa enxergar.

Recolhe o teu olhar.
Diz, com fé, cada desejo teu...

E eu, cumprindo a promessa,
te darei todos...

Um a um!






segunda-feira, 6 de março de 2017

LIÇÕES DE VIDA (AINDA!)




é o descontrole emocional,
certamente,
que provoca tanto sal.
não posso acreditar que seja um complô,
nem mesmo contra os mais ingênuos (ou incautos )
como eu.
são semelhantes os sintomas.
iguais as causas!

frios os sentimentos...







quinta-feira, 2 de março de 2017

MENTIRA




não pode tamanha mentira
sustentar um Império.
nem mesmo um amor.
nascida orfã, tão
abjeta mentira faz
o amor parecer um "game".
destes
que se dão aos meninos...
prá mantê-los calados...
Apenas!!!



quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

ÚNICO DESEJO




Quero ficar um pouco mais...
Poder sonhar sem ilusão...
Ouvir a voz que já se foi...

Poder chorar neste lugar.








segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

POESIA !






olho teus olhos na foto,
teu narizinho arrebitado,
olhos tão brilhantes
e sinto que começo
a entender melhor

o que é poesia!




terça-feira, 24 de janeiro de 2017

CINZENTAS UTOPIAS





Quantos domingos mais
beberei do sopro deste vento,
chorarei pelas mortes de soldados
que conheço só de livros,
em datas que outros comemoram
e cantam nascimentos de bebês.
Dramas, mistérios, comédias
é você que alimenta. E
o mundo,
engole...










sábado, 14 de janeiro de 2017

TODA VIAGEM



parece-me tão extensa esta viagem,
de tão pouca bagagem
e tanto peso, ainda assim.

o pó não poderia deixar de
me seguir,
depositando tristezas no
fundo desta garganta.

e é assim...
há meses e meses...