sábado, 15 de abril de 2017

TEU OLHAR - VESTÍGIOS





São vestígios, nada mais,
as sombras de teu olhar.
Dúvidas que gritam,
fortes,
estórias que se contam
há séculos e noites quentes
e frias,
arrepiantes, apesar de tudo.
São vestígios, nada mais.

A não ser o fim da noite,
antes das sombras e
de teu olhar...




3 comentários:

Graça Pires disse...

Demorar o olhar nos sonhos que nunca foram ditos e, depois, deixar que nasça um rio sob as pálpebras...
Gostei muito do poema.
Uma boa semana.
Um beijo.

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Rangel.
Que poema lindo sobre o olhar.
Esses vestígios são muito especiais, trazem beleza,sem dúvida.
Existem olhares questionadores, os quais nos deixam sem ação e respostas.
Fique com Deus.
Linda semana.
Beijos na alma.

Graça Pires disse...

Boa tarde, amigo. O seu comentário não entrou... Fiquei à espera.
Beijos.