sábado, 9 de janeiro de 2010

Quero!


De tua embriaguez
quero ser o copo,
quero ser o rosto,
o amargor
de tanta
dor...

De tua alucinação
quero ser o corpo,
quero ser o oposto,
o repouso
de tanta
dor...


Imagem: The surprise/Claude-Marie Dubufe

11 comentários:

Graça Pereira disse...

Porque é que o amor quer tudo...mesmo a dor do outro???
Essa alma tua... Um doce!
Beijo
Graça

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

O amor tudo cura, tudo releva, a tudo sobrevive.

Beijo

Mline disse...

Dizem que quem ama sofre...penso que a dor entristece a alma apodrece o acreditar....O poema é forte ele grita nas entranhas de um ser que apenas quer amar e ser amado... de toda sorte é um bonito poema.Abraços

Anne M. Moor disse...

Rangel, amigo querido...

Qdo tem alguém amado em sofrimento queremos sim dar alívio por querer tomar conta da dor do outro! Força. Não podes assumir a dor, mas podes estar presente...

Abraço forte
Anne

Mahria disse...

Eu também quero...

Quem ama quer tudo mesmo, conforme disse a Graça, até a dor do outro.

Bjs Meu Poeta
Mah

iracema forte caingang disse...

Dor legal!!!
BEIJÃO

Chris disse...

O querer que por vezes embriaga o amor, até que a lucidez regresse a esse mesmo amor.
Um beijo
Chris

Maria Angela Piai disse...

Tocante, lindo!

Serena Flor disse...

Lindo e triste poema amigo Rangel!
Apesar de ter me esquecido totalmente...rsrs, passo para te deixar um beijo e um carinho. :)

Lih...Amarante disse...

A ilustração combinou, perfeitamente, com o texto.
É um texto singelo.
Realmente, toca...

carpe diem disse...

O amor é mesmo paradoxal...
Belo poema,bjs.