domingo, 18 de março de 2012

Cansaço!


Sonho, como todo mortal,
quase sempre de olhos abertos.
Sonhos inalcançáveis, 
claro,
senão não seriam sonhos.
Por isso, quase sempre,
me perturbam um pouco e
me fazem me sentir, 
assim,
como uma pessoa que
se distancia mais e mais
do que deve alcançar.


Sento-me, então, à beira
da cama 
e,
cotovelos sobre as pernas,
rosto entre as palmas das 
mãos,
deixo-me levar pelo humano
cansaço...




ilustração: o pensador

8 comentários:

Artes e escritas disse...

Porque dormir é preciso, este poema é bom de ler:) Um abraço,Yayá.

Solange disse...

um rosto,
entre as palmas da mão,
de quem poeta com a alma..
sonho realizado.

bjs.Sol

Anne disse...

Toca pra academia exercitar este corpo cansado e abrir janelas a um mundo mais leve!

beijos de bom dia
Anne

♥♥♥Ani♥♥♥ disse...

Bom dia Alfredo


Adorei o poema...
Também sonho muito de olhos abertos, mas nunca vi meus sonhos como inalcançáveis...


Beijos e uma linda semana pra você.
Ani

Eloah disse...

Querido, vá em busca de teus sonhos. Não os perca pelo cansaço.
Bjs Eloah

Valéria disse...

Poeta, tb sonho de olhos abertos.
Scriptes perfeitos. Sem erros. kk
Vontade de que fossem sonhos reais.
Adorei, abraços
Valéria

Valéria disse...

Poeta, tb sonho de olhos abertos.
Scriptes perfeitos. Sem erros. kk
Vontade de que fossem sonhos reais.
Adorei, abraços
Valéria

Cristal de uma mulher disse...

Poeta tuas palavras tem brilho profundo..As metáforas afogam o cotidiano e o presente se mistura ao passado de alegria ou da dor..Assim eu sinto as poesias que escreves neste teu livro chamado blog..

Um grande abraço

Rachel Omena