sábado, 9 de junho de 2012

Sem juízo



E assim te consumo
e me consomes
e nos desgastamos, nos despedaçamos
sem dó nem juízo...
Gastamos o tempo,
enfrentamos o vento, sem armas,
sem armaduras,
sem guerras, sem motivos,
até que finde a noite,
até que a vida se finde...




ilustração retirada do blogue psicenter.wordpress.com

5 comentários:

Gisa disse...

Um fogo de paixão.
Um grande bj querido amigo

Célia Rangel disse...

Se o desgaste for por amor, apenas acrescentará, enquanto baste a vida.
Abraço, Célia.

Márcia disse...

O amor sem juízo ou até a paixão sempre valem a pena.Viver intensamente é preciso.

Lu Nogfer disse...

...
Que o vento venha desnudo de armaduras.
Que não derrube as coisas boas.
Que venha vestido de paz!


PS:
Hj ate que enfim, consegui abrir o email.Com sobra no tempo e sorte na net, respondo!
Obrigada Rangel!

Beijos carinhosos!

Patrícia Pinna disse...

E esse desgaste é apaixonante e sincero.
Esse desgaste nos faz inteiros, cúmplices e amantes.
Para sempre até o último dia da nossa existência apreciamos o amor e a entrega.
Um beijo, e fique na paz!