terça-feira, 29 de julho de 2014

Sombra...


Mesmo que o dia, assim, se ausente
e que este sol, utópico, deixe o céu
apenas para o mar,
Que a noite, afinal, tudo escureça,
teus olhos, tão acesos, se sobressairão,
como sempre...

Mesmo que o silêncio apague, de repente,
todas as vozes e sorrisos,
em todos os tons e nuances
e que ele se faça duradouro,
eterno, talvez,
tuas palavras todas, sedutoras, sonhadoras,
perdurarão...

E são este brilho e esta música que me manterão
vivo,
eternamente vivo...




ilustração obtida no blogue tepoeta.blogspot.com

4 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...

Olá meu querido poeta,

"Quem não ouve a melodia acha maluco quem dança..."
Oswaldo Montenegro

E como é bom ver, ouvir e dançar o amor !

Beijos
Joelma

Graça Pires disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Valéria disse...

Rangel, seu espaço continua lindo... de mto bom gosto e com poemas tão puros, puros de alma...
Gostei mto.
Com carinho,
Valéria

ॐ Shirley ॐ disse...

O amor é lindo, é tudo.
Rangel, beijo!