terça-feira, 29 de julho de 2014

Sombra...


Mesmo que o dia, assim, se ausente
e que este sol, utópico, deixe o céu
apenas para o mar,
Que a noite, afinal, tudo escureça,
teus olhos, tão acesos, se sobressairão,
como sempre...

Mesmo que o silêncio apague, de repente,
todas as vozes e sorrisos,
em todos os tons e nuances
e que ele se faça duradouro,
eterno, talvez,
tuas palavras todas, sedutoras, sonhadoras,
perdurarão...

E são este brilho e esta música que me manterão
vivo,
eternamente vivo...




ilustração obtida no blogue tepoeta.blogspot.com

4 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Graça Pires disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Valéria disse...

Rangel, seu espaço continua lindo... de mto bom gosto e com poemas tão puros, puros de alma...
Gostei mto.
Com carinho,
Valéria

ॐ Shirley ॐ disse...

O amor é lindo, é tudo.
Rangel, beijo!