sexta-feira, 4 de julho de 2014

E você!


Chegar onde estou,
tanto tempo depois.
Muito pó na estrada,
muito sol, chuva,
caminhada
e não ter como sentar,
beber ao menos um pouco d'água.

Caminhos errados,
equivocados, por certo
ardendo no inferno e
você,
paraíso, quem diria,
tão perto...



ilustração obtida no br.freepik.com

7 comentários:

Catarino Alves disse...

Muito bom.
Aposentadorias

Ateliê Tribo de Judá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Tapadas disse...

Poema muito bom. Bom poder ler.
Revejo-me na primeira estrofe...

bjs

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Rangel.
Muitas vezes seguimos caminhos errados pensando que é o certo, que dessa maneira nos encontraríamos mais rapidamente no nosso destino, mas tantas voltas cansativas nem sempre são necessárias.
O nosso paraíso pode estar muito bem perto de nós e apenas dificultamos a sua visão.
Muito bom.
Tenha uma tarde de paz!
Beijos na alma.

Valéria disse...

Poeta, os caminhos que escolhemos nem sempre são perfeitos, mas, construímos nossas vidas buscando sonhos, assim:
"O deserto
Que atravessei
Ninguém me viu passar
Estranha e só
Nem pude ver
Que o céu é maior
Tentei dizer mas vi você
Tão longe de chegar
Mas perto de algum lugar..."
É uma música linda, assim como esses seus versos.
Gostei mto!
Com admiração,
Valéria

Graça Pires disse...

Escolher um caminho. Saber que aquilo que nos derruba pode ser o que nos salva também...
Um bom poema, amigo.
Beijo.

marlene edir severino disse...

De tão perto...

Nem enxergamos.

Beijão, Rangel!