quarta-feira, 8 de abril de 2015

E nem é quarta-feira...



Chega mansinho, de dentro 
da noite, este perfume suave
que teimas usar.
E ainda nem é quarta-feira!

Manhãs nubladas, de sombras
eternas e chuvas tão finas que,
tal e qual este gato assustado,
insisto em olhar.
E ainda nem é quarta-feira!

O arrepio da tua pele,
sensível e quente, dá na
minha boca desejo de olhar
que o tempo, padrasto, insiste,
não quer mudar...

E ainda nem é quarta-feira!



ilustração obtida em socialspirit.com.br

5 comentários:

Valéria disse...

Rangel,
poema interessante e intrigante.
Uma espera... o melhor da festa: é a espera.
Mto bom.
Valéria

Ateliê Tribo de Judá disse...

Olá meu querido,
Os dias se tornam marcantes se neles existem pessoas especiais que trazem luz e inspiração.
Um beijo todo especial, e nem é quarta feira rsss
Joelma

Graça Pires disse...

Imaginar que todos os dias são "quarta-feira": o dia de todos os prazeres...
Um beijo.

Lu Ribeiro disse...

Bom dia! Ainda nem é quarta-feira, meio da semana, dia que transita entre o cansaço do retorno da semana e a esperança da chegada do final de semana. Bem bacana.
Parabéns!

Nádia Santos disse...

A espera é sempre angustiante, na quarta... na quinta... Bj