sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Luar (eterno)



Fernanda


Fernanda, minha filha,
olhe para o céu
esta noite.

Te vejo lá!



Vinte e duas vezes
amor.
Amor que clareia,
como lua cheia
um luar de céu
tão escuro,
luar tão claro,
como a vida que,
caprichosa,
me coloca sempre
ao teu lado.

Mágico,
como sempre tem
sido...


Ilustração: foto da Fernanda,
Alguém MUITO especial:
Minha filha.

6 comentários:

Make fan7asy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ateliê Tribo de Judá disse...

Os filhos são estrelas que vieram iluminar o céu de nossa existência,
brilham e encantam eternamente levando um pouco do que somos.
Felicidades para a Fernanda e parabéns pelo exemplo de honestidade e
seriedade que você é como pai.
Beijos
Joelma

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Rangel.
Linda demais a poesia.
Uma estrela de amor a iluminar a tua vida.
Que essa união seja mais solidificada, filhos são eternos e etéreos como oscéus.
Linda sua filha e a poesia a ela dedicada.
Sejam felizes.
Tenha uma semana de paz.
Beijos na alma.

Graça Pires disse...

Com os filhos temos em comum o coração. Por isso o mesmo fio de sangue nos tece o equilíbrio.
Um belíssimo poema. Um poema de amor paternal.
Beijo.

Valéria disse...

Rangel,
Poema agradável (eu diria:"delicioso") de ser lido.
Uma linda e verdadeira declaração de amor, respeito e carinho.
Que acredito impossível não ser retribuído.
Valéria

Make fan7asy disse...

Pai, esse é o segundo poema que você faz pra mim. Obrigada! Eu te amo!