quinta-feira, 7 de julho de 2016

HENRI MICHAUX



LEVAI-ME


Levai-me numa caravela,
numa antiga e amena caravela,
na proa, ou se quiserem, na espuma
e abandonai-me, lá longe, longe.

Na união a um outro tempo,
no veludo ilusório da neve,
no bafo de alguns cães à volta,
na extenuada turba das folhas mortas.

Levai-me sem me quebrar, nos beijos,
nos feitos que se solevam e respiram,
nos tapetes das palmas das mãos, no sorriso,
nas renques das articulações e dos ossos longos.

Levai-me, ou antes, ocultai-me.









2 comentários:

Unknown disse...

Belas escolhas meu amor, lindo poema.....

Eu irei contigo rssss
Beijos
Joelma

Graça Pires disse...

Pode ser numa caravela portuguesa...
Um poema maravilhoso em que o poeta utiliza um imaginário de fuga para poder ocultar-se...
Um beijo.