segunda-feira, 18 de julho de 2016

Manhãs





Manhãs, seguidas de vida,
inclementes previsões
de identidade,
verso e reverso de ser.

Manhãs de ventos tão
frios,
de verdades cotidianas,
formatos de sonhos:
eternidades...

Manhãs teimosas,
seguidas de vida...





2 comentários:

Unknown disse...

Lindo meu amor, tuas inspirações me encantam sempre.
Beijos
Joelma

Graça Pires disse...

Manhãs em que a vida segue, apesar das sombras a ocultarem os sonhos...
Um beijo.