segunda-feira, 16 de julho de 2012

Um pouco mais que haiku de amor (David Teles Pereira - poeta português)


Tenho medido os dias a cigarros rápidos e imprecisos
fumados até o litoral dos teus olhos. Continuo...
no mesmo lugar de sempre, devolvendo
às cadeiras o sorriso emprestado pela familiaridade
dos seus gestos tão pouco poéticos.


Tenho acertado os dias pelos copos que agora
estão -ou estarei eu?- vazios. Vai-me pedindo
mais um copo, que eu vou convocar
certos demônios no espelho da casa de banho e, depois,
beber um pouco de água opaca, lavar bem as mãos, secá-las
e regressar à mesa quatro minutos menos feliz.


Não morras nunca, digo-te, acrescentando logo a seguir
que, mesmo assim, não quero falar da morte,
muito embora -desculpa-me a insistência- 
o teu cabelo hoje me pareça mais preto que nunca.
Sorris.


É o que me vale, sabes sorrir tão bem.




ilustração tirada da internet

4 comentários:

Célia Rangel disse...

Lindo poema...envolvente... me fez cantar "Smile"...
[ ] Célia.

POR TODA MINHA VIDA disse...

Querido Amigo que bela escolha !!! a perfeição me deixou perplexo com a sinergia das palavras Parabéns Com Carinho Pedro Pugliese.

Valéria disse...

Rangel, só mta sensibilidade pra escolher tão bem os poemas aqui postados.
Adoro seu espaço...
Valéria

Valéria disse...

Rangel, só mta sensibilidade pra escolher tão bem os poemas aqui postados.
Adoro seu espaço...
Valéria