sábado, 25 de agosto de 2012

Vida minha


Este vazio, esta estrada
e a chuva,
repentina, inesperada,
um alerta...
E os sorrisos das pedras,
lágrimas alternadas,
incertezas da
vida, feridas...
E o vento,também  incerto,
escuridão tão perto,
sorriso de criança...

Vivendo!



ilustração obtida em archdaily.com.br

6 comentários:

Por Amor disse...

Querido amigo ... muito lindo...singelo que toca no fundo da alma ... Parabéns , Com o meu carinho Pedro Pugliese

Juliana Lira disse...

Vivendo as sutis descobertas.
Adorei

Milhões de beijos

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Rangel. Estrada, vazio, chuva, lágrimas, incerteza na vida, isso me parece tão pessoal e tão belo ao mesmo tempo.
Ciclo de vida, que vai e que vem.
Não devemos segurar nossas lágrimas, devemos deixar jorrar e seguir a estrada que nem nós sabemos onde dará.
Muito lindo.
Beijos na alma e fique na paz!

Ira Buscacio disse...

Olá, Rangel
Seus poemas são bárbaros. Gostei e volto pra te ler!

Eva Sabbado disse...

Bonito o poema! Gostei de ler.

Celamar Maione disse...

Gostei da poesia !
E vamos vivendo em meio ao claro e a escuridão.

Obrigada pelos seus comentários.

Beijão