quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Pelo resto do dia!


Amanhece lentamente.
Como que a não querer, o dia, 
irromper de forma deselegante,
permitindo que os sonhos
da noite deixem o quarto
sem atropelos,
naturalmente e com calma...

As ideias vão também vagarosamente
ocupando o lugar dos  sonhos
mostrando que a realidade,
com suas cores berrantes,
é quem reina sobre tudo.

Lembranças do sonho persistem.
Estranhas, doces, misteriosas.
Mesmo despertos, lutamos ainda um tanto
para não deixá-los ir.
Vontade de agarrar-mo-nos a eles,
apenas pelo resto do dia...


ilustração obtida no wikipedia.org

4 comentários:

Lu Nogfer disse...

Querido!

Não deixe os sonhos escaparem das mãos, da imaginaçao, das entranhas, sei lá, onde estiverem, agarre-os e não os deixe escapar!

Lindo sempre passar por aqui!

Voltando lentamente rs!
Tem recadinho la no bloguito incluindo vc, é claro!

Beijão, Rangel!

Por Amor disse...

Lindo discorrer meu amigo querido !!! Com um abraço Pedro Pugliese

Célia Rangel disse...

Caro Rangel,chega um momento em nossas vidas que os sonhos são nossos combustíveis! Belo poema reflexivo!
[ ] Célia.

Isabela disse...

Quão bom seria ter os sonhos dia e noite... Lindo!