domingo, 23 de fevereiro de 2014

Ricardo Reis ( PESSOA )


Tão cedo passa tudo quanto passa!
Morre tão jovem ante os deuses quanto
morre! Tudo é tão pouco!
Não se sabe, tudo se imagina.
Circunda-te de rosas, ama, bebe
e cala. O mais é nada.



"E eu te amo, como nunca"
Imagem obtida em espinhoeoutrasflores.blogspot

5 comentários:

Ateliê Tribo de Judá disse...

Linda homenagem.
Amo Pessoa.

"...Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz... "

Simplesmente a emoção me faz calar o que já sabes.
Beijos
Joelma

Cristal de uma mulher disse...

As letras somam viajando a medida de expressões comungadas.

Fascinantes.

Cristal

Graça Pires disse...

Tão lúcido sempre este nosso Pessoa...
Abraço.

Jossara Bes disse...

Ah! O amor!
O de Pessoa então, não da para descrever, apenas suspirar!
Felicidades para você!
Beijos!

Amar Yasmine disse...

Caro Senhor Alfredo Rangel.
saudações carinhosas!

Demorei, mas cheguei. Sua página sempre linda, com belas poesias, lugar ideal pra estar horas e horas.

Sobre amor, especialmente hoje, sem palavras de tanto sentí-lo, de tanto exercitá-lo.
Beijos!

Amar Yasmine
*:-)