domingo, 1 de novembro de 2009

Velho retrato

Ah... aquela imagem difusa,
quase apagada, quase esquecida,
teus olhos quase sombrios,
o sorriso ainda claro,
o mistério, eterno,
tão presente.

Ah... aquela falsa realidade,
aquela ausente presença,
hoje,
só um borrão...

Ilustração: 3.bp

13 comentários:

Opuntia disse...

Retratos são recordações e, como dizem por aí, "recordar é viver".


Bjos

Toninho Moura disse...

Em minha memória, sua imagem no desenho nunca desbotará.

Alma inquieta disse...

Olá Rangel!

...O mistério eterno, tão presente...

Gostei destes versos, parabéns!

Um beijo e boa semana!

Graça Pereira disse...

O velho retraro ainda é uma presença ausente..ou será apenas um borrão?
Mesmo esses queimam a alma e sabem a saudade.
Um beijo e boa semana
Graça

Valéria disse...

Oi, Rangel
Retratos, lembranças, imagens, recordações...
Vivemos disso: recordações.
E as imagens, com o tempo, se apagam até da nossa memória. Que dirá de um papel e lápis.
Boa semana!
Valéria

Sereia disse...

Bom dia pessoa linda!!!
Seus poemas me intrigam bastante é uma mistura de mistérios e descobertas(gosto disso)
Um lindo dia

Anne M. Moor disse...

Sereia, intrigante é uma boa palavra :-) mas acho, Rangel, que eu diria enigmático, talvez é melhor!

Tua poesia, como sempre, maravilhosa. A leitura das entrelinhas, well ...

Beijos e bom feriado!

Lu Nogfer disse...

"o sorriso ainda claro,
o mistério, eterno,
tão presente."
Tudo isso meu querido com certeza é muito importante para reavivar aquela ausente presença...

Beijo carinhoso ao poeta lindo e misterioso!

Uma linda semana pra ti Rangel!

Chris disse...

Gostei de visitar este seu recanto iluminado de palavras e poemas...
Um abraço
Chris

Ao toque do Amor disse...

oi,vim, conhecer seu blog e te convido a conhecer o toque. Te ofereço meu award e deixo o meu toque de carinho
san

Mahria disse...

Amor
Que saudade daqui.
Com as mudanças que tive no meu blog, te perdi.
Ainda bem q te reencontrei.
Me vi nesse retrato...

Bjs
Boa noite
Mah

Sonia Schmorantz disse...

Retratos mesmo borrões continuam a fascinar lembranças tantas...
Um abraço

Helena Figueiredo disse...

Sente-se já o frio aqui em Portugal, prenúncio do Inverno...
Faz bem reconfortar a alma neste cantinho poético.
Saudações
Helena