quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Desencontro


Marquei um desencontro
com a vida,
sem horário ou local
pré-determinados.
E este desencontro tem
acontecido insistentemente.
Em todos os momentos e
em qualquer lugar.

Presentes: minha alma vazia,
tua ausência
e mais ninguém...

Ilustração: paco-alcandete

13 comentários:

marcinha disse...

poeta os desencontrosa fazem da vida uma surpresa não acha?beijos da marcinha pra você!

Sandra Botelho disse...

Triste, porem lindo.
Bjos achocolatados

Anne M. Moor disse...

Um poema do fundo da alma...

Beijos
Anne

Sandra Regina de Souza disse...

MARAVILHOSO!!!! Sem mais, apenas beijo-te emocionada com os versos!

Luciana Cavalcanti disse...

Neste desencontro, encontro uma belíssima aparição da POESIA!!!

- BRAVO!!!

Lu Nogfer disse...

Quem me dera se minha alma qdo vazia vertesse em mim tamanha inspiraçao!

Beijos com saudades!

armalu disse...

Fred querido!! como te entendo, nem tu imaginas quanto. beijo e votos de semana feliz.

D. M. Rangel, disse...

A cada vez que volto pensando que já li sua melhor poesia, elas vão me surpreendendo

Encantadoramente triste e verdadeira
Linda

Malu disse...

Vim para deixar um FELIZ NATAL e um grande ANO NOVO a ti e a todos aqueles que teu coração abriga.
BOAS FESTAS!!!!

Chris... ჱܓ disse...

Olá amigo...
Este desencontro tem te deixado inspirado. A solidão quando bate, rende muitas linhas escritas...
Mas não se diga de alma vazia. Mesmo tendo a solidão como companheira, estás em companhia de te mesmo... De alma cheinha de inspiração. Nada vazia...
Mais um, tristinho, saudoso, mas muito belo.
Tocante!

Bjos mil...

Vivian disse...

...bendito desencontro
que te faz encontrar
a poesia,
e assim ganhamos nós!

muitos beijos, doce poeta!

•.¸¸.ஐBruneLLa França disse...

Os desencontros doem...

beijos e borboleteios

Valéria disse...

Rangel,
desencontros, acontecem, mesmo sem marcarmos.
Mto lindo!
Com carinho,
Valéria