domingo, 5 de dezembro de 2010

Dia-a-dia


o dia passa silencioso, modorrento.
talvez o calor, o nada pra fazer
ou a combinação disto com a preguiça.
sensação desconfortável de tempo perdido.
o corpo aqui, abandonado, descansa.
ou se consola imaginando isto.

é como a vida tem sido. imaginação.
o tempo passando preguiçoso, arrastado.
pequenas e grandes ilusões.
com certeza, nau à deriva...




ilustração: fickr

18 comentários:

Maysa disse...

A melancolia pede, exige tudo isso?
Belo poema.
Maysa

JB disse...

Por vezes, o corpo apodera-se de nós, controla-nos as vontades... É quando surge a necessidade de reagir e de controlar a viagem, marcando um rumo...

Gostei de aqui vir! Belas poesias!

Abraço!

Anne M. Moor disse...

Rangel

Great minds think alike! Ou seria transmissão de pensamento? Vai lá no Life...Living... ver a "coincidência" - se bem que não acredito em coincidências!

bjos
Anne

Sandra Regina de Souza disse...

Poema que traduz a sensação do dia menos dia... marasmo e preguiça! Mas a segunda-feira já chega..r.s.. beijo!

Chris... ჱܓ disse...

Sensações assim sempre chegam né amigo?
Mas geralmente ela está ligada a falta de algo.
A vida não pode ser apenas ilusão...
Faça dela sua realidade apesar dos pesares...

Belíssimo poema.
Apesar da sensação de vazio...
Adorei!

Uma linda semana para ti.
Felicidades mil...
Bjos!

Folhetim Cultural disse...

Olá queria parabenizar você pelo blog e pedir que visita se o meu simples blog: informativofolhetimcultural.blogspot.com será uma honra ter a visita tua lá. Espero que goste...
Ass: Magno Oliveira
Folhetim Cultural

Valéria disse...

Poeta,
"Sabe a pior coisa que pode te acontecer? Você se acostumar."
Bjinhos
Valéria

Lara Amaral disse...

O dia à deriva dos pormenores que tentamos viver.

Lindos poemas sempre encontro aqui!

Abraço.

Sandra Botelho disse...

meu querido um dia assim é um dia sem tempero...
Apimente sua vida!
Bjos achocolatados

MEUS PENSAMENTOS disse...

BOM DIA!
VIM TE DESEJAR BOA SEMANA E APRECIAR A TUA ESCRITA UM BEIJO QUERIDO!

Janine Bettencourt disse...

Sacode a inércia... salta, ri, vive, AMA!
Beijo em ti, poeta, da Jana

MariaIvone disse...

Por vezes é tão bom deixarmo-nos agarrar pela preguiça, fazer de conta que não se percebe e ceder.
Sempre gosto de teus escritos!

abraço

D M Rangel, disse...

Gosto de como é simples e bela
Seja preguiça ou animação
O que te inspirou é merecido de aplausos

; )

Graça Pires disse...

O tempo é quase sempre como uma nau à deriva...
Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no meu "Ortografia".

Graça Pereira disse...

Ás vezes, há um vazio que nos assalta e parece-nos que o barco perdeu seu rumo...Puro engano! Ao soprar a brisa da tarde, as velas enfunam e lá está ele na crista da onda partindo para outro destino....
É a melancolia do...marinheiro! belo poema!
Beijo
Graça

Maysa disse...

Don Alfredo

Nau à deriva...já faz algum tempo! Viver é buscar-se no outro e depois trazê-lo para perto.
Pelo Alma Tua sabes que podes convocar experientes ajudantes de marinheiro, nessa viagem de alto risco!
Bons ventos! Boa partida! Melhor regresso.POESIA NOVA.
Te abraço
Maysa

Gislãne Gonçalves disse...

essas sensações as vezes aparecem!

:)

Beijos

Marli Boldori disse...

O melhor na vida é este sentimento de deriva,de pensamentos sem rumo,mas que no final sabem bem para onde estão indo.Lindo poema.
Abraço!