segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Salvação


Esta é a terra,
a tarde da verdade plena
e tu,
diante desta espada
há de revelar,
a si própria,
vindo do fundo de sua alma,
todas as verdades
que, sorrateiramente, escondes
de ti mesma
e,
a lágrima que pela tua face
correrá,
salvará teus encantos
e
tua vida...


ilustração: t3.gstatic

3 comentários:

Artes e escritas disse...

Quem chora, se salva. Um abraço, Yayá.

Anne disse...

Amém! Este teu poema é uma prece de confiança... Gostei...

beijão
Anne

Maria Emilia Moreira disse...

Gostei das leituras que fiz. preciso de tempo para ir descobrindo mais.