terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Sou


Eu sou o que,
mastigado lentamente e
engolido com asco,
provoco arrepios
e enjôos.

E cuspido com ódio,
me agarro ao chão
e broto,
e renasço.
Para assombro geral.

Eu sou!


ilustração: t1.gstatic.com

6 comentários:

Anne disse...

Rangel

O renascer se nos apresenta para poder nos reinventar quando necessário.

Brota e renasce, sim!

bjs
Anne

Célia disse...

Pelo jeito, meu caro Rangel, fomos talhados no mesmo barro! No meu blog venho há tempo "poemando" sobre essa força interior que me conduz!
Abraço, Célia.

Gisa disse...

Quando se sabe que somos, o resto não importa.
Um grande bj querido amigo

Lu Nogfer disse...

Ui!Ai que medo!rs

Saudades de voce meu querido poeta!

Grande Beijo!

Patrícia disse...

Isso mesmo,quem pode, pode! E quem causa tanto, é porque incomoda mesmo. Bjsss

Confesso disse...

Amado...

Você sempre SERÁ!


Bjs confessos