terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Destino


Não foi para mim. Não poderia ter sido.
Os ventos contra sempre são
violentos.
A bruma, que se eleva, esconde os mistérios
e o clarear da manhã revela sempre
o clamor da tempestade...






ilustração obtida em postmania.org

8 comentários:

Valéria disse...

Rangel, poema enigmático...
Mistério!
Delicado de se ler... sensível...
mto sensível!
Feliz 2014. Desejo um 2014, assim... assim...: MARAVILHOSO!
Com carinho
Valéria

Nádia Santos disse...

As tempestades sempre vão existir assim como a certeza de que sempre depois delas o sol surgirá. Feliz ano novo, com muitas manhãs ensolaradas na tua vida.Um bj

John L.S. disse...

Belíssimo!

Graça Pires disse...

Muito belo, este poema. As tempestades são sempre desafios que nos fortalecem...
Um abraço.

Bia disse...

Depois de tempestade, vem sempre a bonança ;)

Zilani Célia disse...

OI AC RANGEL!
BONITO, A NATUREZA TODA EM TEUS VERSOS, COM SUA FORÇA E INSPIRAÇÃO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Nanda Assis disse...

Espanta esse azar, pensa positivo!

bjos...

Eloah disse...

Rangel, lindo teu poema! Neste novo ano haverás de nos presentear com belos versos como este que acabei de ler, porque trazes na alma a beleza da poesia.Forte abraço Eloah