quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Rios


Como homens:
encorpados, viris,
caprichosos.
Fortes, alguns.
Velozes, como jovens,
lentos, os maduros.

Assim são os rios:
largos, estreitos, sinuosos,
decididos,
traiçoeiros.

Um homem passa pela vida.
A vida:
passa por um rio.



Ilustração: entrerios

13 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Rangel! Passando para te desejar uma boa noite e dizer que gostei muito do poema. Pequeno na estrutura, poré, gigante na profundidade.

Abraços e muita paz pra ti e para os teus.

Furtado.

Vivian disse...

...e eu, um pequeno regato,
passo por aqui levando comigo
um mar de emoções!

beijos, alma linda!

nydia bonetti disse...

Passa o homem, passa o rio - A vida não passa. Lindo, Rangel. Abraço!

Nanda Assis disse...

que lindoo.

bjossss...

Sandra Botelho disse...

Lindo soneto.
Parabens.Bjos achocolatados

romantic disse...

tudo que passa pelo rio desagua no mar poeta,rs bjs!

contagotas disse...

Caprichos de rios que como homens nascem, percorrendo a vida numa corrida insane onde as margens são limites sempre possíveis de ultrapassar.

bj
MariaIvone

ENCONTRO COM A POESIA disse...

HOJE AQUI VC É O HOMENAGEADO,TE ESPERO LA

Lara Amaral disse...

Bonito poema!

Obrigada pela visita.

Beijo.

Anne M. Moor disse...

Rangel, poeta das palavras,

Homem maduro... nada que o rio te leva!

Beijos matinais
Anne

Rolando disse...

ola. tudo blz? estive por aqui. muito legal. gostei. passa por lá. abraços.

Júlio Castellain disse...

...
Maravilha, Rangel.
Meu abraço.
...

Luciana Cavalcanti disse...

Belo poema!!!
Adoro rios... o rio de minha terra e outros rios. Rios dão fluências aos poemas...

Agradeço-lhe pela visita ao meu "Poesia Acidental".

Luciana