quarta-feira, 30 de maio de 2012

Branco e preto



Eram os mesmo olhos
tantas vezes vistos, aqueles
ali, no porta-retratos.
Talvez um pouco mais novos,
mas os mesmos.
Apenas mais novos,
num porta-retratos velho,
um tanto empoeirado.


E mesmo ali, estáticos,
numa fotografia em branco
e preto,
pareciam me inquirir,
me julgar.


E eu baixei meus olhos,
imediatamente.
Difícil encarar os teus
depois de tudo o que 
vivemos.


Mesmo em branco e preto.
Mesmo empoeirados






ilustração retirada do site todaela.uol.com.br

6 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

É assim mesmo, quando se enfrenta um olhar do passado,estático, no porta-retrato...É inquiridor!!! Com dor!

Célia Rangel disse...

Jamais abaixaria o olhar... Poetaria entre as íris, os bons momentos vividos...
Abraço, Célia.

Nanda Assis disse...

sentimentos não
criam pó.

bjos...

Solange disse...

não adianta abaixar o olhar..
esses olhos azuis estão dentro de vc, mais vivos do que nunca..

bjs.Sol

"Coisas da vida..." disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
"Coisas da vida..." disse...

Me identifiquei muito com esta postagens e com muitas outras... É como se você conhecesse meus pensamentos, sentimentos e minha alma... Parabéns! Abraços.