quinta-feira, 3 de maio de 2012

Entes e objetos


Como integrantes daquela
paisagem,
daquela cidade, daquele lugar,
nossos destinos se viam
traçados por aquele
espaço.


Não podia ser céu
quem nem azul fosse.
Não podia amar quem,
na paisagem,
fosse objeto inanimado.


Você,
se não me esqueço,
era um belo par de sapatos.
Última moda na cidade...




ilustração retirada do blog cacela.blogspot

3 comentários:

Confesso disse...

Amado

Seu poema fez-me lembrar de Cecília Meireles, "De longe te hei de amar, da tranquila distância em que o amor é saudade e o desejo, constância."


Beijo

Cristiano Marcell disse...

Belo poema, minha cara! Parabéns!

Um belo par de sapatos foi uma analogia!

Cristiano Marcell disse...

Caro(a) amigo(a), boa tarde!

Gostaria de convidá-lo a visitar a coluna Haicais de Domingo do Poetas de Marte

A entrevista dessa semana é com o escritor português David Rodrigues.

http://poetasdemarte.blogspot.com.br/2012/05/haicais-de-alem-mar.html

Na coluna do próximo domingo, gostaria de contar com a participação dos que se emaranham na blogosfera.

Elaborem um haicai homenageando a mulher mais importante de nossas vidas(não fiquem com vergonha) e mandem para o meu email:mat_amorim@hotmail.com

A coluna "Mãe,Haicaí! Cuida de mim!" ficará muito melhor com a sua participação!

Espero contar com a presença de muitos!

Desde já, obrigado!

Muita paz!