sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Canteiro


Planta minha alma
canteiro regado a sombras
nas festas do entardecer.
Chuva em tempo certo,
adequada friagem,
tempo de florescer.
Planta minha alma
e dela cuida,
ciosa, afasta as pragas,
viçosa, deixa crescer.
Planta minha alma,
em tempo de colher...



ilustração obtida no blog acromegalicasp.blogspot

5 comentários:

Janice Adja disse...

Palmas!!!

Ateliê Tribo de Judá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
POR TODA MINHA VIDA disse...

Rangel sua doce Alma Planta a beleza sempre ...a candura dos céus um grande abraço Pedro Pugliese

Cynthia Lopes disse...

Que lindo poema!
bjs

Valéria disse...

Rangel, o nosso almatua planta doçura, planta beleza e é sempre surpreendente.
Adoro,
Valéria