domingo, 6 de janeiro de 2013

Ousadia


Só há um lugar suficientemente
inseguro para que eu me perca,
não encontre jamais caminho de
volta e passe a morar no paraíso.
Lugar onde possa me afogar em
delírios de paixões, umidades
quentes e perfumes de prazer.
Naufragar em pele sedosa, arrepios
de loucura (doces loucuras) e a
certeza da eternidade. Só há um
único lugar: teu coração de mulher
completa, devoradora de tédios e
tristezas. Boca de prazeres sem fim.



ilustração obtida em revistaepoca.globo.com

9 comentários:

Janice Adja disse...

Belo poema.

Lu Nogfer disse...

A vida pede ousadia, poeta...

Finalmente estou de volta!

Bejos!

Ateliê Tribo de Judá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anne M. Moor disse...

Estás poetando divinamente!

Beijos

*Escritora de Artes* disse...

Olá,

Obrigada pelo contato, gostei muito do seu espaço!

Saudações

Valéria disse...

Poeta, ousadia... acredito que todos buscam... ousadia.
Adorei
Valéria

kamala Coockie disse...

ta tudo tão lindo por aqui ! olha visita meu blog tambem....
e me segui se puder . bjos

Pri Dotta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pri Dotta disse...

Adorei o poema! Ousadia... Muito bom! Beijos, parabéns pelo blog, adorei aqui e estou seguindo! (: