sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Distante cais



dormimos ancorados
no princípio do cais, num
porto distante,
desconhecido,
em noite tão fria, tão escura...
nem o luar, presa fácil,
surgiu então.

isso foi o princípio de tudo,
quando o amor nasceu...



Ilustração obtida no flickr


2 comentários:

Valéria disse...

Sim, Poeta,
Passado, presente e futuro...
não temos como separá-los.
E o importante é ser feliz!
Abs
Valéria

Ateliê Tribo de Judá disse...

Atravessaremos tempestades e calmarias com a certeza de que nosso cais ancora a paz que o outro precisa.
Beijos.
Joelma