terça-feira, 31 de agosto de 2010

Reviravolta


Não há como impedir o reboliço
que este vento traz,
nem manter teus cabelos
alinhados.
Mas é de reviravoltas e agitação
que este amor sobrevive.
Terrível a bonança,
que mantém tudo em seus lugares,
teus cabelos assentados
e este amor tão frio!


Ilustração: 2.bp

7 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

onde tem vento, tem movimento, tem mudança, tem esperança, tem tempo que passa! Lindo demais esses teus versos!

Beijos!

Raoni Moura e Carolina Zuppo Abed disse...

Acho que o final da tristeza é quando a bonança é triste!! Interessante pensar nisso!!

Úrsula Avner disse...

lirismo á flor da pele e da alma transbordando versos que encantam. Um abraço.

Anne M. Moor disse...

Rangel! O que é isso "este amor tão frio!"??? Existe isso?

Até quando não concordo com o que dizes, adoro tua poesia! :-)

Beijos
Anne

armalu disse...

Nem sempre .. mas quase...o amor sobrevive, como as flores necessitam de régua, o amor necessita..de carinho...tão frio??? haverá amor frio?...alguns são bem escaldantes...

Graça Pereira disse...

O vento tráz novas sementeiras e faz abrir a flor... a bonança estática...faz morrer o amor!
Continuo a gostar dos teus poemas.
Beijo
Graça

Júlio Castellain disse...

...
Ação e reação.
Abraço Rangel.
...