quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Do silêncio, as faces!


Não se pode falar em Paz
sem que se pense no silêncio.
No, cada vez mais difícil, silêncio.
Inimigo do erro cometido,
juiz de toda atitude,
omissão, às vezes.
Tortura de algumas almas,
bálsamo de outras vidas.
Silêncio que se faz depositário
do segredo, do irrevelável.
Silêncio da capitulação,
da entrega, da desilusão.
Silêncio do total amadurecimento,
da melhor demonstração do Saber.
Silêncio que antecede o definitivo,
Silêncio!
Ilustração: lisacom

11 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

por vezes necessário para brotar depois mais palavras

beijo

Gislãne disse...

depois do silêncio as palavras retornam diferentes ou como eram


bjos

Lindo texto.

Vivian disse...

...eu gosto do silêncio
porque ele amadurece
sentimentos, coloca-os
nos lugares que lhe cabem,
alojando-os no conforto
de ser feliz!

Elaine Crespo disse...

Silêncio pra necessário para que eu possa pensar(risos)
Mais de vital importância para tranqüilidade!

Parabéns!!

Ando sem tempo pra comentar agora tirarei um dia na semana só para comentários!

Linda quinta-feira!

Beijos
Elaine Crespo

Anne M. Moor disse...

Rangel
Aiiiiii o silêncio! Ao longo do último ano comecei a entender os diversos significados do silêncio, além de praticá-lo, algo um tanto difícil pra mim.

Teu poema lindo como sempre e uma aula!

Bjos
Anne

Carla disse...

O silêncio, às vezes, diz muito.


Bjos

contagotas disse...

Por isso se diz "que o silêncio é de ouro"
Bj
MariaIvone

armalu disse...

Silêncio...por vezes fala muito alto...
alto demais acredita...

Andradarte disse...

O silêncio tem dois bicos....fiquemos
com o de Juiz......
Abraço

Graça Pereira disse...

Há silêncios que falam...há silêncios que magoam e há outros que são semente de nova colheita!
Adorei este teu poema!
Beijo
Graça

Raoni Moura e Carolina Zuppo Abed disse...

Quando entro nesse blog tenho a certeza de que vou me surpreender. E me preparo; mas nunca dá certo, sempre sou surpreendido.