segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Pressa


Vento que sopra e, soberano,
levanta o pó destas ruas,
desta vida.
Vento que revoluciona o
que o tempo fez acomodar.
Vento que, violento, sacode
este velho marasmo.
Que expõe aos olhos o que já
não tinha vida.

Apresse-se!

Lembre-se que, de repente,
o vento pára e
o que voltou a ter vida,
retorna!


Ilustração: legribel

8 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

lindo! belo lembrete :)

beijo

armalu disse...

que o vento seja de bonança, e te devolva tudo o que mais ambicionas, minha alma em alma tua

Lu Nogfer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lu Nogfer disse...

...
O vento quando sopra,ele atiça o fogo da vida!E o que diante dos olhos, ganhou vida com o seu sopro,continue cada vez mais radiante!

Beijos

Vivian disse...

...tenho pressa dos teus
versos,
sejam eles trazidos pelo
vento das paixões,
ou pela brisa do amor.

tenho pressa!

bjbj

Gislãne disse...

Este vento é poderoso!

:)

Lindo.

Anne M. Moor disse...

Rangel

Esse teu vento sabe das coisas! :-)

Adoro o jeito que tu poeta. Poesia com profundo sentido!

Beijão
Anne

romantic disse...

que este vento se apresse...estou esperando.bjs RANGEL.