segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Naufrágio


Náufrago neste mar revolto,
cúmplice do sal, da vela, do sol,
ausência que não deixou olhos úmidos,
saudades, vazios...

Náufrago de si mesmo e da vida,
náufrago da solidão,
corpo insepulto no mar
ou em lugar algum!


Ilustração: gstatic

14 comentários:

MEUS PENSAMENTOS disse...

Rangel ,sempre poemas magnificos e encatadores,vim te desejar uma otima semana! bjs!

Fred Caju disse...

Lembrei de uma poetisa daqui da terra:

De tanto mar
Maresia
Comeu meus olhos
minha fantasia
desfez o barco
que me levaria
a caminho de outro mar

DE TANTO MAR

E há tanto mar
Amar
Na minha ilha
Onde mareio
Sozinha
E sem saber nadar

Maresia,
Comeu
Desfez
Secou
todos os mares..

Onde Amar
Há males

E eu,
– Nau
frágil.


(Renata Santana - http://historiasdeumagata.blogspot.com/2010/11/de-tanto-mar.html)

Tania regina Contreiras disse...

Náufragos da solidão, somos todos no mundo?
beijos e parabéns pelo poema.

♥ Luciana Mira ♥ disse...

Muito lindo! Adorei!

Annie Manuela disse...

Ando naufraga também...
Adorei o poema. Lindo,lindo...

Bjks.

Graça Pereira disse...

Há naufrágios na nossa vida que...ás vezes nem a alma escapa.
Doloroso mas bonito poema.
Beijo
Graça

Graça Pires disse...

A vida onde naufragamos e nos salvamos...
Beijos.

Malu disse...

Rangel, um poema muito belo... Quantos de nós não nos lançamos ao mar de solidões, de procuras.
O mar é um recanto mágico para todos aqueles que gostam de poeMAR.
Abraço

Dα૨ℓ૯ท૯ Aℓ√૯ઽ....(",) ^♥^ disse...

Lindo post Poeta......

OBRG pelo carinho.

estarei sempre presente neste
cantinho maravilhoso!

beeejo-beeejo...

Darlene alves...(".)

Sana Tessmann. disse...

cúmplice da palavra!

Dα૨ℓ૯ท૯ Aℓ√૯ઽ....(",) ^♥^ disse...

RANGEL....POETA..QUERIDO!

Não sei responder a altura, mas sei de uma coisa, adorei ler seu mia couto!LindoOOO!


Deixemos voar o sentimento do nosso corpo e entrar naquele que o merece, não tentemos medir algo que a nossa alma não controla

BEEEJO-BEEEJO...

DARLENE ALVES...(",)

MariaIvone disse...

Naufrago de si mesmo e da vida, prenúncio de morte anunciada. Há que ter esperança de apoio ainda que em mar revolto. Sempre haverá alguém a quem humedecem os olhos perante o nosso naufrágio.

Beijo

Isa disse...

Lindo poema de (a)mar!

beijinho.
Isa

libidinis disse...

Eu estou encantada com estes poemas...eu choro e rio...sensações que me fazem levitar...poucas coisas na vida trazem tantas emoções...obrigado!