terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

De novo, os vendavais...


Não me atrevo a desafiar
os ventos.
Sou tão fraco diante deles.
Vendavais são
inconstantes, irracionais,
implacáveis...
Não importam as belezas de
tua alma.
Te arrastam até que
tuas fraquezas gritem.
E as minhas gritam tão alto!

Não me atrevo a desafiar
os ventos.
Prefiro o teu abrigo!


Ilustração: gstatic

20 comentários:

Sandra disse...

E porque tudo o vento leva, mais vale o aconchego de um bom abrigo.
Gostei!

OceanoAzul.Sonhos disse...

E porque os ventos são incertos e os abrigos, refugios aconchegantes.
mto bom!

OA.S

Anne M. Moor disse...

Êta vento bão, poeta maravilhoso!

beijos
Anne

Marcia Morais disse...

belissimo poema Rangel!
bjos!

Contos da Joii disse...

Fico feliz que tenha gostado e se encontrado em algumas. Das minhas linhas. Ja te sigo.
Seu poema é lindo. Tbm fico com o aconchego. Os abraços q de tao verdadeiros trazem o outro pra dentro da gente. Dispenso vendavais. Brigas. Discutir relaçäo. Fico com o encostar no ombro. O beijo nas costas de boa noite. E a paz q todos precisamos depois de um dia longo no complicado mundo. Seja bem vindo ao contos da joii. Fazer leitura diaria de ti sera para mim um prazer. Ate uma proxima oportunidade.

Juliana Vidal disse...

Numa ventania nada melhor que um abrigo para se aconchegar e esperar passasr assim ternamente e docemente.
Abraços!!!!

R.B.Côvo disse...

Também prefiro me abrigar. Abraço.

Marlene disse...

ALFREDO PASSEI PARA LER VOCE,
LINDO SEU POEMA,PRA FUGIR DO VENTO SÓ MESMO NUM ACONCHEGO,GOSTOSO,NUM
ABRIGO SEGURO,,
UM ABRAÇO POETA COM CARINHO

MARLENE

Maysa disse...

AC
Teu poema é de uma única e permanente tristeza, pungente como a vida dos amantes desesperançados!
Os ventos não nos fazem tão mal assim, há os que afagam,brincam com nossos cabelos,acompanham, guiam.
O que nos faz mto mal é a falta de amor, ou a recusa em amar!
Ai de nossas fraquezas! Estarão sempre expostas, são elas as expressões, mais legítimas, de nossa humanidade tão imperfeita!
Os abrigos são vários e por vezes estão mais perto do que sonhamos!
Teu blog é muito especial, Parabéns.
Passa lá no meu Ninho. Adoro qdo apareces e comentas!
Um carinhoso abraço
Maysa

MariaIvone disse...

Desafiar não é preciso. Mas saber que ele sopra lá fora valoriza o nosso abrigo.

Abraço

libidinis disse...

Por vezes o vento nos leva para outros ares...é bom vislumbrar um cais onde aportar!!!

Bjs

Cria disse...

Impecável composição, Poeta ! Parabéns !! Meu carinho.

Cris disse...

Não há vendaval q passe sem deixar seu rastro... sempre chega a hora de sair do abrigo e reconstruir a vida. Bjãoo

Rodolfo Rios disse...

Muito sentimento! E gostoso passar por aqui!Voltarei sempre!

Bjs
Isaias

Graça Pereira disse...

Poema arrasante...como um vendaval!!
O Zambeziana festeja o 2º aniversário, aparece na festa.
Beijo
Graça

Dα૨ℓ૯ท૯ Aℓ√૯ઽ....(",) ^♥^ disse...

QUE LINDO POETA AMADO!



Se fosse pra ser previsível e descomplicado seu nome não seria amor.

Beeejo-Beeeeeejos...

Darlene Alves...

Maria disse...

Amigo, estou retribuindo a sua amável visita ao meu humilde cantinho, é sempre uma alegria enorme ver chegar mais um amigo.
"Sem amigos ninguém escolheria viver, mesmo que tivesse todos os outros bens." Aristóteles
Adorei o seu blog, um espaço cuidado, de extremo bom gosto, poesias lindas, irei acompanhar com imenso prazer.
Beijinhos
Maria

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

seu cuidado com as palavras e sua sensibilidade em agrupá-las e decodificá-las é admirável... Bonito poema, como de costume. Grata pela visita e comentário.

Úrsula

L. S. Dias disse...

Belíssimas palavras!

Patricia Carvalho disse...

seja bem vindo ao meu blog, agradeço po me acompanhar nessa minha nova caminhada, ainda sou bebezinho no mundo dos poemas mas sei que vou aprender com os melhores...
Obrigado