sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Insistência


Queria acreditar na verdade daquele céu,
na pureza daquela brisa,
nos segredos daquela lua.
Mas o cansaço da caminhada,
a falta daquela sombra,
o gesto do dissabor,
acordaram-me daquele sonho.
Voltei a caminhar.
Cansado!



Ilustração: gstatic

18 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Querer é poder...querer voltar a sonhar.
Abraço

OA.S

Lu Nogfer disse...

Ola meu querido Rangel

O ceu sempre transmite algo verdadeiro mas é preciso acreditar!

Um beijo!

Velha da Lua disse...

Sem mais, novamente me levou a imagem do Pequeno Príncipe! Parabéns :)

Anne M. Moor disse...

É Rangel

A vida nos prega umas peças vez por outra! Tbm ando meia cansada disso tudo...

beijos
Anne

Janine Bettencourt disse...

Sacode o cansaço!
Vive...

Maysa disse...

AC
É poesia, mas é estado de espírito! É melancolia.Abre a janela poeta, poeta, não foge da vida... ela te ama. Ame-a tb!
O gesto de dissabor pode ser apenas uma resposta. Sublinha o que Freud já considerou no célebre texto sobre o mal estar da civilização.
Um carinhoso abraço. Continuo te esperando no Ninho, lá as tempestades são ventos oceânicos.rsrsrs
Maysa

tecas disse...

Recomeçar é renascer e o querer é poder.
Mesmo cansado, voltará a sonhar.
Aliás, já começou...com este fabuloso poema, poeta Rangel.
Gostei.
Abraço amigo

R.B.Côvo disse...

Sempre tem um recomeço. Abraço.

Valéria disse...

Continue insistinde, Rangel.
Nós "fazemos" os sonhos, logo, devemos buscá-los! Mesmo cansados... Insistência, é td.!
Com carinho,
Valéria

Andreza disse...

...não basta acreditar...
é preciso conquistar...
bom domingo com bjks doce ♥

Sandra Regina de Souza disse...

O caminho pode apresentar atalhos que amenizem o cansaço... tem sempre uma emoção à espreita: arrisca! Aproveita! bjo

Maria Luisa Adães disse...

Querias acreditar em tudo,

Tu pediste...

Querias acreditar na pureza,
nos segredos ao deitar,
na sombra que sempre aparece
e se esvai no sonho
e não se deixa encontrar.

Tu desejas isso...

Mas não aconteceu,
acordaste e deixaste o sonho
só teu.

Tão só...

Mas ela apareceu
na noite do sonho,

Tu estavas acordado
Desencontrado,

Esquecido...

Lindo seu poema
Bela essa Alma Sua!

Maria Luísa

Sandra disse...

É isso mesmo: insistir, ir à luta ainda que cansado.
Abraço

Maria Luisa Adães disse...

Recebi seu comentário e gostei e
agradeço.

Na minha poesia, falo muitas vezes
"nos poetas mortos"...

Me admira quando diz:

"Quanta ternura,
quanta vida ser lida apenas
por mortos, como eu..."

Porque se expressa assim em relação
à sua pessoa? Posso saber? Se não
posso, amigos como sempre.Mas gostaria de aprofundar o que diz.
Confie em mim, como poeta e como pessoa ligada à primeira personagem

"Dois num só"...

Com amizade,

Maria Luísa

Mas sou muito sensível e me apercebo de pequenos pormenores.

Escreva para mim sempre que queira
e eu respondo. Gosto da sua amizade

Maria Luísa

Marcia Morais disse...

lindo poema ,boa semana poeta bjs1

teca disse...

Às vezes, eu fico exausta de tanto sonhar...
Um beijo imenso!

MariaIvone disse...

Queria que acreditasse que seus versos me descansam!

bj

Luciana Araújo Cavalcanti disse...

Belíssimo poema! Cansaço e insistência... no caminho da Utopia!

Valeu!