terça-feira, 1 de março de 2011

Decididamente, homem não chora!


Pensamentos se fixam naquela noite
e o peito viaja até aquele mosteiro.
Descem dos olhos lágrimas soltas,
onde, breve, os dedos vão se molhar.
Recomponho-me rapidamente e
como um homem deve ser,
encaro as dores sem piedade...
Não se chora por coisa vulgar.
Volto, portanto,
a chorar...


Ilustração: gstatic

17 comentários:

Anne M. Moor disse...

Fica triste não Rangel, poeta de tantos momentos...

beijossssssssssssssss
Anne

Kah Peixoto disse...

Lindo poema *-*

Graça Pires disse...

Não ter medo das lágrimas. Tornam-nos lúcidos...
Um belo poema, amigo.
Beijos.

Flá Perez (BláBlá) disse...

que belo!
e misterioso, esse mosteiro.

bjbj

Maysa disse...

“... como um homem deve ser,
encaro as dores sem piedade..."


Aí está! Os códigos e sinais são trocados... Alma Tua... Tua anima clama, está sendo vitimizada.
Acolhe-a.

Ah! Querido poeta:

Lirismo

Maysa Machado

O pranto lava, alivia
Torna-nos leves
Logo tua anima
Loquaz, livre
Encontrará a lúdica
Face da lua.
Sob lírios e limpos lençóis...

Santa Teresa, 2 de março de 2011

Carinhoso abraço.

Cria disse...

Reflexivo e belo, parabéns, amigo poeta ! Beijo, lindo dia pra ti.

R.B.Côvo disse...

Um homem chora, sim. O poema é lindo, mais uma vez. Abraço.

Sandra disse...

Lindo este poema!
E o homem chora sim, quando assim tem que ser...

Vivian disse...

...escreve poeta!

escreve, deixa-se perder
nos vales da poesia e liberta
esta alma tua, razão do
meu encanto!

escreve...

enquanto escreves não choras!

mas se chorar, deixe que
as lágrimas lavem toda dor
que só existe onde há
desamor!

muahhhhh

Valéria disse...

Um homem chora.
E é lindo...
Carinhosamente
Valérlia

joaoletras disse...

chorar é a alma em flor.

belo poema.

essa ´eminha primeira vez aqui, mas tornarei. criei um link

Iracema forte caingang artista plástica indigena brasileira disse...

Magnífico...
Tudo de bom
Mil beijos
Mil cores

marlene edir severino disse...

Rangel,

Acolhida fico próxima dos que choram, sim, dos poetas...

Um abraço!

marlene edir severino

dilita disse...

O pranto alivía.
Mal é quando só a alma chora,e lágrimas não aparecem.
(sei como é)

Encontrei este blogue hoje; muito bonito o seu conteúdo,gosto imenso de poesia,voltarei.
Saudações de Portugal.

Regianne disse...

Olá Alfredo, vim lhe agradecer a sua visita, e por esta fazendo parte do meu céu estrelado...
amei o seu blog
são lindas as palavras que encontrei aqui
irei estar sempre lhe visitando
beijos

Alexandre disse...

Que genial!
Que poema corajoso!
Adorei,
Abraço...voltarei sempre!

MM - Lisboa disse...

Que paradoxo tão grande, como de uma tristeza tão profunda nasce uma beleza tão grande em forma de poesia!
Desculpa mas é um lindo poema!
Jinhos