quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Memória


Uma velha casa não pode guardar
todas as vidas que por ela
passaram.
Ela tem de respirar o presente.
Ficam somente,
na alma de cada velha casa,
as memórias daqueles que,
dispersos,
deixaram nela suas vidas
e perderam nela suas
esperanças...


Ilustração: gstatic

16 comentários:

Sandra disse...

Na alma de cada casa ficam sonhos por reciclar ;)
Obrigada pelas palavras que deixou no meu Sentidos!
Beijo

Runa disse...

Pelos cantos poeirentos das velhas casas, palpitam ainda, como uma respiração sufocante, as centelhas esbatidas de quem nelas habitou.

Abraço

Runa

Sonia Schmorantz disse...

Velhas casas parecem ecoar as vozes dos que ali passaram, aprisionam parte das histórias de cada morador, e se alimentam dos sonhos ali esquecidos um dia...
abraço

Luiza Maciel Nogueira disse...

uma casa para se habitar :), belo

beijos

Anne M. Moor disse...

Ah Rangel

Se as casas falassem...

Maysa disse...

Alfredo

Diferente das pessoas casas não escolhem os que as habitam. São escolhidas... Daí que memórias ficam, para sempre, impregnadas em coisas, lugares, paredes e mesmo nas pessoas que só passam...Num dia qualquer, num tempo qualquer, aparece alguém com dons arqueológicos ou um poeta...e decifra o mistério.
Tenho a vaga impressão que essa casa imaginária é figura poética. Tudo bem, não é ALMA TUA? Faz parte do todo.
Abc
Maysa

Dα૨ℓ૯ท૯ Aℓ√૯ઽ....(",) ^♥^ disse...

Um luxo vir ler-te.

mesmo porque a sua escrita é
o reflexo da sua alma...

Lindo demais s2...(".)

Beijinhos na Alma....



ótimo final de semana..

..Darlene Alves..

docerachel disse...

"Fiz uma casinha branca lá no pé da serra pra nós dois morar, fica perto da barranca do Rio Paraná, a paisagem é uma beleza, vc vai gostar."

Gislãne disse...

Tanto tempo sem passar por aqui, já estava com saudades.
E seus poemas como sempre tocando a alma minha.
Beijos

Chris... ჱܓ disse...

Sempre fica algo de todos e de tudo que passam por nós...
O que seria de nós sem nossa memória, sem nossas lembranças?
Lindo poema, nos faz pensar...

Amigo, saudade de você.
Estive ausente, mas agora estou de volta.
Tenha uma linda semana de paz.
Bjos!!

Elenir disse...

Encantada em conhecer sua casa repleta de alma!
Bjs

Graça Pires disse...

Da memória das casas e dos sonhos que as habitaram...
Beijos.

CAFÉ COM ROSAS disse...

As costas ainda gritam.
Os olhos ainda choram.
Espero que da próxima vez eu consiga silenciar a sua gritaria afônica.
Espero que da próxima vez você consiga emudecer o meu silêncio ensurdecedor.

http://cafecomrosas.blogspot.com/

Graça Pereira disse...

Na velha casa, ficaram memórias que continuam a respirar e a viver...
Saudades de ti. Beijo
Graça

Marlene disse...

alfredo que belo poema amigo,ecoam
voses ao vento cantando saudades
solidão abandono,daquele passado tempo,vivido em noites de outono,,,
adorei seus versos meu querido,é um prazer poder ler seus versos,
espero sua visita quando sobrar um tempinho,com carinho,

marlene

Fanzine Episódio Cultural disse...

COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
O Fanzine Episódio Cultural é uma publicação bimestral sem fins lucrativos, distribuído na região sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Belo Horizonte e Salvador-BA. Para participar basta mandar um artigo: poema, um conto, matérias (esporte, arte, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, sinopses de livros e filmes, curiosidades, folclore, moda, saúde, esporte, artes cênicas, biografias, etc.) em Times Roman 12.

Mande em anexo uma foto pessoal para que seja publicada juntamente com a matéria. Se desejar, você pode enviar uma imagem correspondente ao assunto abordado. Caso o artigo não seja de sua autoria, favor informar a fonte.

PARA ENTRAR COM CARLOS (Editor)
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
machadocultural@gmail.com
http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com