quarta-feira, 19 de outubro de 2011

A mais pura verdade


Claras imagens,
sonhos de conquistas.
Montanhas, serras solitárias,
íngremes, distantes.
Vales profundos,
enormes desfiladeiros,
o céu ao alcance das mãos...

Tal qual as mais puras
verdades,
inalcançáveis...


ilustração: t3.gstatic

9 comentários:

Célia disse...

Sensivelmente, você toca nos corações preconceituosos... "Claras imagens... verdades inalcançáveis"... Fico em reflexão. Abraço da Célia.

Gisa disse...

Inalcançáveis mas passíveis de sonho.
Um grande bj querido amigo

Zélia Cunha disse...

Querido,
Sutilmente penetras em um mundo que muita gente não quer ver...Verdades "inalcançáveis"... Mas para o sonho não há limites...
Um grande abraço.

Anne M. Moor disse...

É Rangel ... :-(

Eloah disse...

Ainda acredito no desafio e na esperança.Sonhar nunca é demais.
Querido a vida as vezes nos reserva surpresas que as verdades consideravam inalcançáveis.
tenha um dia encantador.Bjs Eloah

ॐ Shirley ॐ disse...

Belo poema, sensivel e abrangente. Abraços!

Fanzine Episódio Cultural disse...

Donzelas do Apocalipse

Sem pai, sem mãe,
Sem leite materno...

Seu estômago vazio
Pediu por comida:
Com uma arma carregada
Roubou uma vida.

Escondia-se na escuridão,
Disfarçava-se na luz.
Foi a uma igreja...
Rezar, pedir perdão?
Não! Para roubar um pedaço de pão.

O mundo o condenou.
Amor e carinho
Jamais encontrou.

A sociedade o execrou,
A margem da vida o adotou.
Foi condenado a percorrer
Um longo e tortuoso caminho:
O seu exílio.

Mas, não estava só!
De ambos os lados,
Lindas e afrodisíacas donzelas
O seguiam:

A angústia e a fome
A solidão e a morte.

Do livro (O ANJO E A TEMPESTADE) de Agamenon Troyan.
Contate o autor:
MSN: machadocultural@hotmail.com
Skype: tarokid18
E-MAIL: machadocultural@gmail.com

Sandra Botelho disse...

Oi amigo, to de volta...hehehehe! Consegui encontrar nesses bares da vida, sentada num cantinho, palida e triste, a minha inspiração.
Tomava um martine, e fumava um cigarro, nos olhos uma tristeza indolente lhe deixava a face vazia. Um barzinho mais ou menos, onde o cantor alcoolizado de olhos vermelhos cantava, Não se váaaaaa!. Quando ela me viu, do canto dos seus labios vi surgir um quase sorriso sabe? Daqueles que querem ,mais não querem sorrir?...Tirei ela dali, pelas mãos, a levei pra ver o mar, pra voar, pra sentir o gosto doce de um beijo e o sabor ardente dos desejos.
Aquela mulher que antes parecia farrapos voltou a se iluminar, jogou o copo fora, apagou o cigarro e voltou pra mim. Estamos nós duas lá no Meu Aconchego.
Te espero, por lá tá?
Bjos achocolatados

armalu,blogspot.com disse...

As verdades mais puras vem sempre das crianças, e destas crianças de olhar cintilante e sorriso lindo, quem poderia duvidar.?minha alma em alma tua.