sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Meu mutismo

Poupar todas as palavras.
Mostrar com gestos,
olhares, todas as intenções e
desejos.
Calar-me
absolutamente, completamente e
poder transmitir meus
sentimentos e quereres.
E ouvir-te, lúcida, ciente de mim
e do brilho da minha alma.
Nada poderia falar mais alto.
Nada poderia gritar mais que minhas palavras.
Apenas eu.
Mudo!

Ilustração: blasfemias.files

12 comentários:

Christi... disse...

Lindo, eu amo tua escrita..
talvez, hoje, tudo que eu gostaria de dizer..Muda..

bjs,

Pauline Machado disse...

Para variar, lindo e perfeito!
Não sei como pode conseguir descrever tão bem o que sinto!
Sempre que venho aqui, me vejo em seus escritos!

:0)

Beijos

Wanderley Elian Lima disse...

É grande poeta, o silêncio as vez fala mais que todas as palavras.
bjs

Sonia Schmorantz disse...

O silêncio na intimidade de duas pessoas tem significado especial, é o sentir, sem alarde, mas com intensidade.
Muito bonito!
Um abraço e otimo final de semana

Sueli disse...

Existem gestos que falam muito mais que palavras. Falam, ferem, acariciam. Certos olhares também o fazem. Lindo, adorei!

EDUARDO POISL disse...

O silêncio entre duas pessoas fala muito, lindo poema.

Charles Chaplin disse em um de seus poemas , que a vida é uma peça de teatro na qual não se permite ensaios ,poderia também se basear em um circo , pois o que existe dentro de todos é a alegria de viver e um simples aplauso que faz a vida crescer .
Wesley moreira

Desejo um lindo final de semana cheio de amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl

Anne M. Moor disse...

Rangel! Como diz o Wanderley, GRANDE poeta!

E o silêncio
expressão da alma
refúgio dos medos
ancoradouro do sossego (ou não...)

Beijo grande

Graça Pereira disse...

..."que há um momento
que o coração sente
que os mais felizes,
são os que falam
com o pensamento...
Dizem tudo
sem dizerem nada;
porque o solêncio
é grande
quando fala!!"
(Extraco de um poema meu quase no princípio do meu blog)
Com muito carinho para ti Graça

Vivian disse...

O silêncio é a minha maior tentação.
As palavras, esse vício ocidental,
estão gastas, envelhecidas, envilecidas.
Fatigam, exasperam.
E mentem, separam, ferem.
Também apaziguam, é certo,
mas é tão raro!
À cada palavra que chega até nós,
ainda quente das entranhas do ser,
quanta baba nos escorre em cima
a fingir de música suprema!
A plenitude do silêncio só
os orientais a conhecem.

Eugênio de Andrade

Bom Dia, Poeta Triste!

Alma inquieta disse...

Há silêncios que gritam!

Há uma ponte no meu blog para unir o Porto ao Brasil.

Um beijo-

Confesso disse...

Imortal

Me calo diante da intensidade das tuas palavras...



Beijos calados...

Valéria disse...

Calar-me!
Silêncio!
Qtas palavras, qtos olhares, qto sentimento podemos transmitir com o silêncio?
Silêncio - "valem" mais que berros... pois são interpretados pela alma...
com carinho
Valéria