domingo, 18 de outubro de 2009

À deriva

Solto as amarras,
navego livre, sem destino,
rota incerta,
aventura desconhecida.

Descobertos pela frente,
novos rumos,
doloridos e ensolarados.

Traçar novos mapas,
novas cartas registradas,
impressões, novas,
sensações, novas.

À deriva, sigo...


Ilustração: garatujando

12 comentários:

Vivian disse...

...deixar-se navegar à deriva,
e como sentir a brisa do vento
senhor da liberdade, pousando
onde bem lhe apraz.

beijo, poeta de densas palavras!

Alma inquieta disse...

Olá Rangel!

Parabéns!
Gostei do poema e a imagem é linda e muito bem escolhida!
Uma imagem vale mais que mil palavras!

Um beijo.

Nanda Assis disse...

maravilhoso poema, e com mais energia e vontade.

bjosss...

Valéria disse...

Rangel,
navegar sempre, novos mares, novos portos, navegar é preciso!
Viver é preciso!
Carinhosamente,
Valéria

Almirante Águia disse...

A vida é interessante, basta uma mudança no pensar, já seguimos novos rumos, vejá lá se mudamos de atitudes... Saberemos aonde vamos?

Boa semana

Graça Pereira disse...

Ás vezes , parece-nos que andamos á deriva, mas...o barco conhece bem o caminho do cais. É só uma questão de tempo!
Gostei do poema e a foto ilustra-o deliciosamente.
Um beijo e boa semana
Graça

Anne M. Moor disse...

Rangel

Nova vida! E que sejas muito feliz...

Beijos
Anne

mariana disse...

à deriva... estamos nós.

Cristina disse...

À deriva, com amarras soltas e pronto pra novas descobertas. Linda essa imagem.

Cris(www.tudooqueeusinto.zip.net)

Sueli disse...

às vezes, na vida da gente, soltar as amarras faz muito bem. A emoção de pensar no que nos espera, a surpresa do desconhecido... É, a gente precisa...

Thaís disse...

Olá ...

Tem um selinho para vc lá
no meu Viver - http://www.euprecisoviver.blogspot.com/

Um beijo.

Thaís.

Américo do Sul disse...

à deriva a brisa leve lambe a vida...