sábado, 17 de outubro de 2009

Nada garante


Não cabe nesta parte do dia
toda a verdade que observei
vinda daquele sorriso.

Não se pode compreender
a imensa sombra que
o silêncio da morte invoca.

Nem o íngreme caminho
a ferir meus pés
garante a eternidade
daquela verdade inicial

Ilustração: foto-damar

9 comentários:

Nanda Assis disse...

tudo passa, mas as palavras ficam.

bjosss...

Valéria disse...

não podemos compreender mtas coisas, poeta.

Vivian disse...

...as lembranças ficam
como garantia de emoções
vividas.

bj

Sonia Schmorantz disse...

O modo como descreve sentimentos em poemas é especial.
Um abraço, ótimo domingo

Wanderley Elian Lima disse...

Muito lindo.
bjs

Anne M. Moor disse...

Rangel
A eternidade é muito longa... Viva o dia de hoje intensamente!

Beijo e um bom domingo
Anne

Sueli disse...

É... nem sempre podemos acreditar num sorriso, ou quem sabe, nós ainda não tenhamos aprendido a ler sorrisos...

Beju

Opuntia disse...

É... a única coisa que é garantida é a morte, mas isso não deve nos desanimar. Vivamos do melhor modo possível.

Bjos

Giane disse...

Nada garante mesmo nada.
Nada é importante.
Nada. Mesmo.

Beijos mil!!!