sábado, 10 de outubro de 2009

Tênue


Insiste, ainda, em arder neste coração
aquela chama baça,
quase um nada,
acesa pra você.
Trêmula e tão delicada
já é quase um ponto invisível,
quase um nada.
Teimo em protegê-la com as mãos,
para impedir que definitivamente se apague,
morra.

Ah, pobre sonhador.
Desafiar ventos tão fortes.
Lutar contra a escuridão definitiva.
Luta inglória
que já quase não se
enxerga...


Ilustração: blogfullmoon

8 comentários:

Mahria disse...

Sempre existe uma chama, q apesar dos ventos fortes insiste em continuar acesa q jamais pode se apagar, morrer no peito de um sonhador...

Bjs
Mah

Jacque disse...

Muito Lindo.Apareça.

Beijo.

Jacque

louca esquizoffrenica disse...

perdoe-me a intromissão mas eu sou louca.faz-me lembrar aquelas velas de aniversário modernas, quanto mais se sopra mais elas acendem...

Majoli disse...

Rangel, não tem como não comentar.
Te leio sempre, mas fico quietinha do lado de cá.
Mas hoje tua poesia mexeu por demais com meu interior.
É triste, é linda...é coração...é alma...é puro sentimento.

Beijos e bom domingo.

Graça Pereira disse...

Ás vezes, temos os sonhos trocados, quase apagados.. mas basta um sopro do vento e eles no avesso da tua vida, reacendem-se pasaando desertos e chegando a um céu azul e fresco como o resperar das marés! Basta apenas um sopro...
Um beijo carinhoso.
Graça

Valéria disse...

Rangel, não deixe apagar.
Só vc pode fazer isso, ela, a chama dessa vela é da sua responsabilidade.
Só vc pode mantê-la acessa... eu sei que fará...
Valéria

Lu Nogfer disse...

Nao ha vento mais forte que voce entao nao deixe apagar essa chama
pois escuridao definitiva nao ha!

Beijos

Mline disse...

Uma grande sensibilidade existe aqui nesse poema...fascinante... Rangel