quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Sem respostas


Vem de longe este olhar agudo,
este brilho ponteagudo
no olhar.
E estas palavras inquietas,
um questionar amargo,
incisivo,
fantasmas que queimam
e dão o que pensar...


O tempo também fornece
facas e punhais,
constrói dúvidas e questões,
de forma mais urgente,
mais premente
do que respostas ideais...




ilustração: t0.gstatic

10 comentários:

Catia Bosso disse...

Lindo poema!

Eloah disse...

É amigo a vida nem sempre é um mar de rosas, mas é nas dúvidas e nas respostas que vamos aprendendo. O tempo é o senhor da razão e se encarrega de amaciar nosso caminho e de preencher a nossa alma de sabedoria.Bom dia e grandes voos.Forte abraço Eloah

Célia disse...

Verdadeiramente cruel! Mas, real ao extremo! Vida! Viver! Ser vivido! Experiência mais instigante que essa - VIDA - ainda não conheço!! Palavras, olhares,punhais que em desacordo com nossa fértil imaginação deturpam nossos sonhos!! Mas, abatermo-nos, jamais! Sigamos! Abraço da Célia.

Zélia Cunha disse...

Boa noite, amigo.
Mais um lindo poema. Até hoje busco por respostas... mas não tenho certeza se quero ouvi-las...
Abraço tua alma, poeta.

Vivian disse...

...respostas pra quê
se já sabemos todas?

bjokas com saudades docê!

Gislãne Gonçalves disse...

e questionar é maravilhoso.
as perguntas são a própria vida!

Beijos

M. Nilza disse...

Olá, Rangel!

Sempre muito bonitos seus versos.
Saudades do seu catinho
Beijos

Marcia disse...

Meu querido passando para te ler e desejar uma otima semana um bjo!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Por que perguntamos tanto,
se as "respostas ideais" pouco
surgem? É que a queremos, sempre, creio...
Um abraço
Lúcia

Graça Pires disse...

O longe e o tempo transformando o olhar e a vida...
Beijos.