sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Do silêncio



De silêncio pode, sempre,
um homem se alimentar.
E deitar sua face
e dormir reconfortado.

Da brandura do silêncio
se tiram muitas lições,
muitos saberes.

Da doçura do silêncio
que você repentinamente
deixou, tiro a força para
sobreviver tua ausência...


ilustração: t0.gstatic


10 comentários:

Anne M. Moor disse...

Rangel

Quando que o ato carinhoso de silêncio e o sentido de pertencer se torna um sentimento de estar sendo ignorado?

beijão
Anne

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O silêncio, tem um poder inimaginável!
Há teses extraordinárias, sobre o silêncio.
Percebo, o quanto ele pode,
nessa doce poesia, Rangel.
Um abraço
Lúcia

Artes e escritas disse...

A força do silêncio chega a ter som. Um abraço, Yayá.

Célia disse...

"Da brandura do silêncio
se tiram muitas lições,
muitos saberes".

Ler e ouvir o silêncio é a maior sabedoria da vida! No silêncio do meu pai, entendia tudo; no olhar silencioso de um amigo leio cumplicidade! Lindo o seu poema!
Abraço, Célia.

marlene edir severino disse...

E necessitamos silenciar para ouvir o silêncio

e através da palavra viajar,
praticando o que aprendemos a escutar

no silêncio.

Beijo, Rangel!

Valéria disse...

Rangel,
o silêncio, às vezes, se faz necessário, para aprendermos lições, para entendermos ausências, para pensarmos.
Dói? Sim, em algumas situações, mto.
Saudades de vc, meu amigo!
Valéria

Gislãne Gonçalves disse...

mas não exagere, pois tudo em excesso faz mal, ate mesmo o silêncio!

:)

Beijos

MARILENE disse...

Há momentos em que o silêncio fala. Nem sempre o queremos ouvir, mas seu significado é gritante.
Bjs.

Chris... ჱܓ disse...

Amigo Rangel...
O silêncio nos diz tanto. É muito poderoso o saber do silêncio.
Às vezes nem sempre sabemos silenciar. Quando as palavras calam, é porque os ecos do silêncio precisam nos falar.
Basta saber ouvir...

Saudades.
Uma linda semana de paz e alegrias para ti e para os teus.
Bjos mil...

Chris.

Eliana Mora [El] disse...

...e porque não dizer, para que o alimento contido nele possa, em poesia, construir nosso próprio eu.



um abraço,
El