segunda-feira, 16 de abril de 2012

Em branco


esparramar
por toda esta folha branca
de papel
as mais coloridas aventuras da vida,
cores fortes, marcantes...


mas há de sobrar,
eu sei,
ainda muito branco,
na folha...




ilustração obtida no blog obeijodaborboleta

8 comentários:

Pedra do Sertão disse...

Graças a tanta folha, isto é ótimo para o futuro!

Abraço

Solange disse...

e que mesmo amarelada pelo tempo, receba,ainda que na última linha,
as palavras adormecidas
na memória do poeta..

bjs.Sol

Mery disse...

Quanta pureza ... * nesses versos belos; as sobras "em branco serão preenchidas com cores e sabores tão marcantes como essas já esparramadas.
Lindo demais!
Um beijo e boa semana pra ti.

Confesso disse...

Muitas páginas escritas, aventuras mil, contudo o esquecimento de um livro pôs fim em algo que nunca existiu.

Anne disse...

Sempre Rangel... Sempre...

bjs
Anne

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Rangel. Muito sábio isso.
Com certeza sobrará uma infinidade de linhas no papel branco a serem escritas com amor e dor, acertos e erros!
Um beijo na alma, e fique na paz!

Eloah disse...

Sempre há de restar espaços em branco para serem preenchidos com palavras que teimam em ficar no silêncio da alma e que poderão compor novas histórias e dar encanto a vida.
Bjs no coração Eloah

Anamaria do Val disse...

Lindo poema!Bom fim de semana para você, Rangel