quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Mia Couto

Mia Couto
Escritor moçambicano.
Do livro "A chuva pasmada"

Ante o frio,
faz com o coração
o contrário do que fazes com o corpo:
despe-o.
Quanto mais nu,
mais ele encontrará
o único agasalho possível
- um outro coração.


Foto: Mia Couto

10 comentários:

Mery disse...

Olá...
*Essa pequena poesia é simplesmente linda :*)
"O encontro de¨- um outro coração*, nem precisa mais...é só despi-lo e ele o encontrarᨨ;
*< essa eu escrevi no meu caderninho, é especial D+
beijus
da Mery*

Célia disse...

Belíssimo e tocante o agasalho que o coração encontra em outro coração! Abraço, Célia.

Anne M. Moor disse...

Aiiiiiiiiiiiiii Rangel,

Que coisa mais linda! Mia Couto sabe das coisas...

beijão
Anne

Eloah disse...

Lindo! Perfeito!É só através do coração que conseguimos encontrar o nosso lugar.Abraços Eloah

Gislãne Gonçalves disse...

Que coincidência! Estou lendo um livro dele: Terra Sonâmbula!

:)
beijos

armalu,blogspot.com disse...

Parabéns pela escolha , Mia Couto lindo...adorei.
Beijo Fred e tudo de bom para ti.

Solange disse...

mia couto...
excelente escolha falando do coração..
acalma, mas não apaga..não é?

bjs.Sol

mds disse...

Estou lendo Mia Couto:"E se Obama fosse Africano?" Ele é genial!! Linda poesia!!!Bjs

Lícia Dalcin disse...

Esse poema é, como ele mesmo, de um conforto antigo, de um aconchego de casa de avós, cama com lençóis limpos. Para ele, um adjetivo de bibelô delicado: MIMOSO.

Maysa disse...

Por aqui venho pouco. Aprendi que menos é mais. Mia te redime e me enternece.