sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vozes


Por que, teimosamente,
minha voz procura
encontrar a tua
em doces e amargas
madrugadas?

Por que a voz tão rouca
não se cala
e deixa passar tua voz,
arredia,
que insiste em me
evitar?



ilustração: t0.gstatic

7 comentários:

Solange disse...

lindo poema..

em que vc coloca
uma procura mansa,
de alguém que nunca teve
a chance de mostrar sua voz..

bjs.Sol

Célia disse...

... dar vez e voz ao outro... isso é serenidade de uma partilha amorosa! Abraço, Célia.

Artes e escritas disse...

A voz bem cuidada muito pode te ajudar. Um abraço, Yayá.

armalu,blogspot.com disse...

Que a voz que procuras , esteja sempre a teu lado, e te faço muito bem, abraço Fred...

Anne M. Moor disse...

Poema belíssimo! Parabéns...

beijos
Anne

Zélia Cunha disse...

Rangel,
Um lindo poema. Deixar o coração falar...
Abraços, querido.

Soraya Chaude disse...

Essa procura suave que procuras, possivelmente outra procura em teu lugar...