quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Contradição


É esta mesma estranha
e cruel distância,
que me afasta dos olhos
que quero,
que me aparta do calor
que preciso,
que me mantém vivo,
que me desafia e que
me permite sonhar!



ilustração: Caminhos - Alfredo Munhoz

9 comentários:

Cris Campos disse...

Rangel,
Não raro aquilo que nos afasta do que amamos é também o que nos aproxima. Estranho mas delicioso paradoxo. Gr. Bj. meu querido!

Confesso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Confesso disse...

É bem assim...


Beijo

Por Amor disse...

Rangel meu querido amigo estas coisas são bem assim sem explicações ...lembra " o coração tem razões que até a própria razão desconhece "... Belas e sábias verdades as suas palavras um grande abraço Pedro Pugliese

Valéria disse...

Rangel, é isso aí.
Sábio...
um poema verdadeiro, é assim mesmo.
Carinhosamente
Valéria

Tania regina Contreiras disse...

Rangel, isso é tão real, ainda que paradoxal: o longe é que nos faz crer no perto, os sonhos são tecidos dos fios da distância.
Beijos,

Sonia Schmorantz disse...

O desafio da distância é que torna urgente a vontade de estar perto, experimentar, provar no real o que tanto nos atrai... a distância é como vento que aumenta chama, faz arder o desejo e às vezes faz doer. A realidade é que é muito dura, nos tira os sonhos todas as manhãs, para devolvê-los só a noite.
Lindo poema!

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Meu querido Poeta

E...sonhar é tão bom e saber dizer que se ama é estar-mos vivos.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

marlene edir severino disse...

Assim
tão presente!

Abraço, Rangel!