segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Ah! Como eu queria...


Queria gritar, de repente, todas
as palavras que não conheço,
deitar minha voz na fonte
perene dos sonhos calados,
viajar os caminhos de pés
tão marcados, sorrir o sorriso
dos que, ingênuos, só sabem
viver. Queria o sonho de ver no 
horizonte, um sol de sentidos,
de luzes e cores que meus
olhos cansados não pudessem
jamais esquecer...



ilustração obtida no blog lixoeluxo.blogspot

10 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Como diz a letra de uma música: "Existem entre nós sonhos calados
Que a vida não permite acontecer..."
Um poema intenso, especial!
Beijo

Crys SJ disse...

Lindo poema...triste porém lindo...
bjs

Nádia Santos disse...

Queria gritar... gritaste e teu grito foi triste mas em lindos versos. Bom dia!

Lu Nogfer disse...

Ah Rangel!Hoje, eu tambem queria.

Seja em sonhos calados ou em real horizonte, o sol sempre estará no mesmo lugar.A espera de quem o queira ver!

Doce beijo!

Por Amor disse...

Rangel estou deixando hoje no final da manhã um presentinho a te um abraço Pedro Pugliese

Por Amor disse...

Rangel um lindo poema ...maravilhosamente escrito e sentido...Mas com cala verás co seu belo coração as cores do por do sol no horizonte sim porque muito mereces ...Um grade e afetuoso abraço Pedro Pugliese

Anne M. Moor disse...

Grita meu poeta mor, grita bem alto. E uma questao de soprar as dores com forca!

Bis
Anne

Anne M. Moor disse...

Grita meu poeta mor, grita bem alto. E uma questao de soprar as dores com forca!

Bis
Anne

LauraAlberto disse...

os sonhos são a nossa maior ambição: querer

beijinho

Solange disse...

então feche os olhos..
e só abra,
quando o sol brilhar em teu coração..

bjs.Sol